Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Chisora é investigado na Grã-Bretanha por confusão

Por AE

Londres – Dereck Chisora pode ser punido pelo órgão regulador do boxe britânico por conta do seu comportamento antes, durante e depois da derrota para Vitali Klitschko, que manteve o título dos pesos pesados do Conselho Mundial de Boxe. O Conselho de Controle do Boxe Britânico (BBBC, na sigla em inglês) disse nesta segunda-feira que abriu uma investigação sobre a conduta de Chisora em Munique.

Chisora deu um tapa na cara de Klitschko na pesagem e cuspiu água no rosto do irmão de seu oponente, Wladimir, antes da luta. Depois, ele brigou com David Haye, ex-campeão da Associação Mundial de Boxe (AMB), na coletiva de imprensa após a luta, o que levou a ser detido para explicações pela polícia alemã no domingo.

De acordo com o BBBC, Chisora está sendo investigado por má conduta. O conselho está avaliando o seu comportamento “antes, durante e depois da sua luta” contra Klitschko, disse Robert Smith, secretário-geral do BBBC, em um comunicado. “Uma nova declaração será emitida quando os comissários decidirem sobre qual ação será tomada”.

Chisora insultou Haye e ironizou a derrota do compatriota para Wladimir Klitschko em julho de 2011, pelo cinturão da AMB. Eles discutiram antes de chegarem às vias de fato. Haye também brigou com os membros da equipe de Chisora, e seu treinador, Adam

Booth, sofreu um corte na cabeça.

Haye, porém, deve escapar de sanções do BBBC porque aposentou-se oficialmente depois de sua derrota para Wladimir Klitchko. “Haye não é um lutador licenciado pelo Conselho Britânico de Controle do Boxe e, portanto, não está mais sob a jurisdição da Junta Britânica de Controle do Boxe”, disse Smith.

Chisora enfrenta uma acusação de agressão simples na Alemanha, mas foi liberado no domingo depois de quase sete horas de interrogatório pela polícia. Seu treinador, Don Charles, também enfrenta uma acusação de agressão por seu envolvimento na confusão. Ambos voltaram para a Inglaterra.

Chisora e Charles foram detidos no aeroporto de Munique às 10h30 (hora local) de domingo e levados para um interrogatório na sede da polícia de Munique. Chisora foi inicialmente indiciado por suspeita de agressão, causando lesões corporais graves e por ter feito uma ameaça. Chisora foi ouvido prometendo atirar em Haye. Acusações mais graves não foram feitas porque a polícia não conseguiu encontrar Haye, apesar de ter procurado boxeador em seu hotel.

Wladimir Kltschko disse nesta segunda-feira que estava “chocado e profundamente envergonhado” por Chisora e sua equipe. “Este tipo de ação deve parar, caso contrário o boxe vai descer o morro rápido”, disse.