Casemiro, queridinho de Zidane – e também de técnicos adversários

Assim como fez Simeone no ano passado, Allegri, técnico da Juventus, apontou o meio-campista brasileiro como peça-chave no time do Real Madrid

No ano passado, o técnico Diego Simeone, do Atlético de Madri, surpreendeu a todos no estádio San Siro ao dizer, na coletiva prévia à decisão da Liga dos Campeões, que o brasileiro Casemiro era, segundo ele, o jogador mais importante do rival. De fato, o brasileiro foi um dos melhores em campo na conquista da 11ª taça do time, em Milão. Um ano depois, o técnico da Juventus, Massimiliano Alegri, repetiu a dose, dias antes da decisão do próximo sábado, em Cardiff, no País de Gales.

“Se fala de Isco ou Bale, mas para mim seria mais importante que Casemiro não jogasse” afirmou Allegri, em entrevista coletiva. “Não é o jogador mais dotado tecnicamente, mas é fundamental porque dá esse equilíbrio ao time que nenhum outro pode dar. Desde que se tornou titular, o Real Madrid mudou muito.”

Casemiro também é constantemente exaltado por seu treinador, Zinedine Zidane. Foi o francês o responsável por tornar o brasileiro um titular absoluto a partir do primeiro semestre de 2016. A boa fase e os títulos na equipe espanhola também garantiram ao meia de 25 anos a condição de titular absoluto na seleção brasileira de Tite.

Formado no São Paulo, Casemiro atuou no Morumbi de 2010 a 2013. Nesse período, jogou mais como segundo volante, com menos obrigações defensivas, e foi constantemente criticado por seu temperamento e comprometimento. Emprestado ao Real Madrid B, ganhou chances no time principal, ainda com o técnico José Mourinho no comando, mas perdeu espaço no ano seguinte e foi emprestado ao Porto, onde deixou boa impressão. De volta à Espanha, caiu nas graças de Zidane e desde então é apontado como um dos melhores do mundo em sua posição. 

Barcelona x Real Madri pela Liga Espanhola - 23/04/2017

Casemiro se destacou em grandes jogos, como os duelos contra o Barcelona de Messi (Pierre-Philippe Marcou/AFP)