Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Cambistas à solta. Em frente ao centro da Fifa

Imagina na Copa

Praticamente todo torcedor que vai ao Centro de Eventos do Ceará em busca de ingressos para a Copa das Confederações é abordado por ambulantes que seguram camisas de várias seleções. A pergunta subsequente não é se o possível cliente vai querer a de número nove ou dez, mas sim sobre outro assunto: “Quer comprar ou tem algum ingresso para vender?”. Na terça-feira, a reportagem de VEJA flagrou mais de dez cambistas atuando livremente bem em frente ao centro de coleta e venda de ingressos oficial da Fifa em Fortaleza. Para a semifinal entre Espanha e Itália, na quinta-feira, restam ingressos apenas para os setores um, a 266 reais, e dois, a 190 reais. Os cambistas estão se aproveitando disso para vender os ingressos por, no mínimo, 150 reais – mesmo que o gasto deles tenha sido de apenas 76 reais com os ingressos. Para o setor três, cujo valor na bilheteria seria de 152 reais se já não estivesse esgotado, um cambista ofereceu uma entrada por 180 reais. Sobre o fato de a Fifa divulgar que o ingresso é pessoal e intransferível, Jardel esclarece ao possível cliente: “Não tem problema nenhum, não. Eles só pedem o RG na hora de comprar na bilheteria. No estádio, é só passar o bilhete na catraca”. De fato, isto tem acontecido, mas o famigerado padrão Fifa afetou a lucratividade de Jardel. “Como a gente pensou que ia ter fiscalização de verdade, compramos poucos ingressos. Vacilamos.”

Leia também:

Em Salvador, a aventura de andar de táxi

Na aviação, visão limitada não enxerga 2014

Em Brasília, estádio cheio, barriga vazia

Enquanto o Brasil joga, torcedor está na fila

(Kalleo Coura, de Fortaleza)

Copa das Confederações

Copa das Confederações (VEJA)