Brasil busca vaga olímpica no polo aquático feminino

Por AE

Triste – O Brasil ainda sonha em participar do polo aquático nos Jogos Olímpicos de Londres. Depois de verem a equipe masculina ficar sem a vaga, agora são as mulheres que entram na piscina, em Triste, na Itália, em busca da classificação no Torneio Pré-Olímpico. A competição, envolvendo nove equipes, começa neste domingo e va.

As chances de classificação entre os quatro melhores do torneio, porém, são muito reduzidas. O Brasil está no Grupo B, com Grécia, Canadá, Casaquistão e Holanda – a outra chave tem Itália, Rússia, Hungria e Espanha. A equipe brasileira precisará vencer um jogo e avançar às quartas de final. Se vencer também nesta etapa, estará na Olimpíada.

A última competição de alto nível que o Brasil jogou no polo aquático foi a fase preliminar da Liga Mundial. Ali, a seleção perdeu duas vezes para os Estados Unidos (19 x 1 e 16 x 1) e duas para o Canadá (17 x 1 e 13 x 8), sempre de forma vexatória.

A estreia do Brasil será no domingo contra a Holanda. No dia seguinte, a adversária é a Grécia. As brasileiras folgam na terça-feira, e jogam a seguir contra o Canadá (quarta) e Casaquistão (quinta). Das convocadas, sete atuam pelo Pinheiros. Três são do rival Paulistano e outras três do Flamengo. O técnico da equipe é Roberto Chiappini.

No Pré-Olímpico Masculino, o Brasil avançou às quartas de final como terceiro da sua chave. Ao encontrar a Romênia, porém, a seleção brasileira sucumbiu, derrotada por 19 a 8, ficando sem a vaga olímpica. Depois, a equipe ainda perdeu para Turquia e Macedônia e terminou a competição em oitavo.