Biografia póstuma revela ‘time ideal’ de Cruyff com 3 brasileiros

Ídolo holandês, morto em março, surpreendeu ao escalar o pupilo Pep Guardiola em sua seleção de todos os tempos

Foi lançada nesta quarta-feira, na Espanha, a autobiografia do holandês Johan Cruyff, um dos melhores jogadores de futebol de todos os tempos, que morreu em março, aos 69 anos. No livro Johan Cruyff 14, A Autobiografia, o ex-jogador de Ajax, Barcelona e seleção holandesa montou seu time ideal de todos os tempos, sem nenhum atleta em atividade, e com três brasileiros na lista: Carlos Alberto Torres, Garrincha e Pelé.

Outra escolha chamou a atenção: Cruyff escalou no meio-campo o seu grande pupilo Pep Guardiola, hoje técnico do Manchester City. Foi o holandês, então treinador do Barcelona, quem lançou Guardiola ao time profissional, em 1990, e ensinou-lhe seus conceitos de jogo, baseado na troca de passes, que consagraram a ambos como jogadores e técnicos.

Veja também

No livro, Cruyff conta sobre um conselho que deu a Guardiola quando o pupilo assumiu o cargo de técnico do Barcelona, em 2008. “Disse que ele deveria ser capaz de dizer ao presidente: ‘Não se meta no vestiário. Aqui mando eu’. Somente se tivesse essa força seria digno de se tornar o treinador”, escreveu o craque da Copa de 1974, que também fez muito sucesso como treinador do Barcelona, entre 1988 e 1996.

Cruyff não se escalou em seu time ideal e nem a Lionel Messi, a quem costumava dedicar grandes elogios. Entre as decisões mais contestadas, o ex-jogador elegeu dois companheiros de seleção holandesa: Ruud Krol e Piet Keizer.

A seleção de todos os tempos de Johan Cruyff:

Lev Yashin, Carlos Alberto, Franz Beckenbauer, Pep Guardiola, Ruud Krol, Alfredo di Stéfano, Bobby Charlton, Garrincha, Diego Maradona, Pelé e Piet Keizer.

Johan Cruyff, ex-jogador da seleção holandesa de futebol

Johan Cruyff morreu aos 69 anos, vítima de câncer no pulmão (Hector Guerrero/AFP/VEJA)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Sem nenhuma dúvida uma das vagas é dele, um gênio da bola< lá vai: Yashin, Carlos Alberto, Beckenbauer, Puyol e Nilton Santos; Obdulio Varela, Bobby Charlon e Di Stéfano; Garrincha, Pelé e Cruyff.

    Curtir