Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

‘Bernardo é um menino bom, foi um incidente’, diz o pai

Meia foi espancado depois de se envolver com a mulher de um chefe do tráfico

Dentro de campo, além da habilidade e do oportunismo, Bernardo ficou famoso pelas explosões de fúria, que já lhe custaram alguns cartões

O pai do meia vascaíno Bernardo diz que está tudo bem com o filho e avisou que ele vai esclarecer na semana que vem a agressão sofrida no domingo numa favela carioca, depois de ele ser flagrado com a mulher do chefe do tráfico do Complexo da Maré, Marcelo Santos das Dores, o Menor P. José Hélio de Souza confirmou que os acompanhantes do filho eram o zagueiro Wellington Silva, do Fluminense, e o volante Charles, do Palmeiras. “Ele está bem, descansando porque precisa se preparar para a cirurgia, que será na quarta-feira. Era domingo, ele estava de folga, o Charles e o Wellington ligaram e o convidaram para um churrasco. Nós falamos com ele várias vezes durante a semana, o que aconteceu foi um incidente que ele vai esclarecer na semana que vem”, afirmou Hélio, que foi atacante na década de 1980, com passagens discretas por Palmeiras e Fluminense, e algum destaque no Sport Recife, onde virou ídolo.

Leia também:

Bernardo, do Vasco, foi espancado e torturado em favela

Em conversa por telefone com o site de VEJA, Hélio disse que não tem queixas sobre o filho, e que nunca precisou dar conselhos sobre seu comportamento fora de campo. “O Bernardo é um menino bom, só nos orgulha”, afirmou o pai, que vive com a família em Sorocaba, no interior paulista. Ainda garoto, Bernardo foi levado para as categorias de base do Cruzeiro (MG), onde se destacou, e em 2011 foi negociado com o Vasco. Passou de forma discreta pelo Santos, no ano passado, e voltou ao clube carioca neste ano, sem conseguir ajudar muito na péssima campanha no Campeonato Carioca. Dentro de campo, além da habilidade e do oportunismo, Bernardo ficou famoso pelas explosões de fúria, que já lhe custaram alguns cartões.

Acompanhe VEJA Esporte no Facebook

Siga VEJA Esporte no Twitter

De acordo com as informações divulgadas pelo SporTV, na noite desta quinta-feira, e pelo jornal ‘Bom Dia Brasil’, da TV Globo, nesta sexta, Bernardo e Dayana Rodrigues, mulher de Menor P, foram flagrados e levados a uma casa na Vila do João, onde foram espancados e torturados com choques elétricos. Dayana ainda levou tiros nas pernas antes de ser libertada e foi atendida no Hospital Santa Maria Madalena. Bernardo só escapou depois da intervenção de Wellington Silva e Charles, que foram criados no Complexo da Maré, na Zona Norte do Rio de Janeiro, e convenceram os traficantes a preservar a vida do jogador. Bernardo está sem jogar desde o último dia 13 de abril, quando sofreu lesão no ligamento cruzado anterior do joelho esquerdo durante jogo com o Quissamã, pelo Campeonato Carioca. Vinculado ao Vasco até 2015, ele será operado na quarta-feira que vem e deve voltar a jogar somente em outubro.