Benzema cita racismo para justificar não convocação à Euro 2016

O atacante francês, de origem argelina, afirmou que o treinador Didier Deschamps não o chamou para a competição por causa da onda extremista anti-imigrantes que vem crescendo no país

O atacante Karim Benzema, do Real Madrid, acusou o técnico da seleção francesa, Didier Deschamps, de ceder à pressão dos racistas ao decidir não incluí-lo na lista de convocados para a Eurocopa 2016, que ocorrerá a partir de 10 de junho, na França. Em uma entrevista ao jornal esportivo espanhol Marca, publicada nesta quarta-feira, Benzema, de origem argelina mas nascido em Lyon, disse que não acredita que o treinador seja propriamente racista, mas que ele se curvou à onda extremista que desmoraliza a população imigrante no país, diz ele, citando o crescimento dos adeptos da Frente Nacional, partido de extrema-direita contrário às políticas migratórias.

“Ele cedeu à pressão de uma parte racista da França. O partido extremista chegou à segunda fase das últimas eleições. Não sei, portanto, se é uma decisão apenas de Didier, porque me dou bem com ele, com o presidente e com todos do grupo”, afirmou o atleta de 28 anos. Benzema chegou a ser suspenso da seleção francesa por causa de seu envolvimento em um esquema de extorsão envolvendo a gravação de uma relação sexual de Mathieu Valbuena.

A Justiça francesa determinou, inicialmente, que Benzema e Valbuena não poderiam ser convocados simultaneamente para a seleção francesa. Após a queda dessa medida, Deschamps passou a contar com ambos os atletas, no entanto, em conjunto com o presidente da Federação Francesa de Futebol (FFF), Noel Le Graet, o treinador decidiu não convocar o atacante do Real Madrid à Eurocopa – Valbuena também não foi convocado.

“Eu gostaria de jogar pelo meu país, mas, infelizmente, isso é impossível”, disse Benzema ao Marca. “Perder a Copa do Mundo de 2010 na África do Sul foi um revés, mas a Eurocopa em casa é ainda mais difícil. Esta é uma das maiores decepções que tive, sem dúvida”.

Leia também:

Seleção francesa suspende Benzema por suspeita de chantagem

Benzema se defende sobre chantagem: ‘Só quis ajudar’

Valbuena abre o jogo sobre chantagem de Benzema: ‘Não faria isso nem com meu pior inimigo’

Repercussão – Após a declaração polêmica de Benzema, o secretário de Estado para o Esporte da França, Thierry Braillard, disse via Twitter que a declaração do jogador é “injustificada e inaceitável” e que a FFF (Federação Francesa de Futebol) e Didier Deschamps têm seu apoio total.

(Com Estadão Conteúdo e Gazeta Press)