Balotelli pede desculpas ao Manchester City e à seleção italiana

Mario Balotelli pediu nesta terça-feira desculpas a seu clube, o Manchester City, após a polêmica que gerou ao ter recebido seu quarto cartão vermelho em duas temporadas no último domingo.

Ele também ligou para o treinador da seleção italiana, Cesare Prandelli, que declarou na segunda-feira que cogitava deixar o jogador de fora da equipe que participará da Eurocopa-2012, que será disputado do dia 9 de junho ao 1º de julho na Ucrânia e na Polônia.

“Estou muito arrependido por ter decepcionado o treinador Roberto Mancini e o City, mas foi expulso por faltas que cometi em lances que aconteceram no decorrer partida, não por uma reação mal-humorada. Espero não ser afastado da seleção ‘Nazionale’, que é a coisa mais importante para mim”, declarou o jogador num comunicado.

De acordo com o código de ética de Prandelli, os jogadores convocados na ‘Squadra Azzura’ devem ter um comportamento exemplar com seu clube.

Balotelli já ficou de fora de duas convocações da seleção em razão de suspensões que levou por lances violentos que protagonizou com o City.

Nesta terça-feira, diversos jornais italianos afirmaram que o atacante corria um sério risco perder a Eurocopa.

De acordo com a agência de notícias Ansa, ele teria ligado para Prandelli no último domingo, poucas horas depois da sua expulsão, para explicar que o cartão vermelho que recebeu era consequencia de lances da partida e não de um comportamento antiético.

O treinador italiano explicou que ainda pretendia analisar as imagens antes de tomar uma decisão final, que deve sair na hora da convocação oficial dos jogadores da seleção para uma sessão de treinos (sem amistoso), nos dias 23 e 24 de abril, na Itália,

No domingo, na partida que sua equipe perdeu por 1 a 0 para o Arsenal, Balotelli levou dois cartões amarelos por ter cometidos diversas faltas violentas, entre elas um pisão no camaronês Alex Song, e acabou sendo expulso após ter dado um carrinho desnecessário no lateral francês Bacary Sagna.

O técnico do City, o também italiano Roberto Mancini, já deixou claro que não pretendia mais escalar o jogador até o fim desta temporada.

“Ele é indefensável, não aguento mais. Faltam seis partidas e ele não jogará”, declarou na segunda-feira o treinador, que não descartou a possibilidade de se livrar do problemático atacante na próxima janela de transferências.

“Provavelmente, mas não sei ainda. Isso depende de muitos fatores, porque apesar de tudo, é um jogador fantástico”, afirmou.

“Gosto dele muito como pessoa e como jogador porque conheço ele muito bem. Não é um garoto malvado e é um atleta fantástico. Só que neste momento, ele está desperdiçando seu talento. Espero que entenda que está no caminho errado e mude logo para melhor”, completou Mancini.