Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Assunção acredita que Felipão só desistiu ‘da boca para fora’

O técnico Luiz Felipe Scolari praticamente descartou a classificação do Palmeiras para a próxima Copa Libertadores da América. No entanto, o treinador tem um discurso diferente com os jogadores. O volante Marcos Assunção explicou que nem sempre o comandante repete um assunto nas conversas com imprensa e jogadores.

‘É normal que ele fale da boca para fora. Em outras vezes, já falou algumas coisas para vocês (jornalistas) e outra totalmente diferente para nós. Treinador é o primeiro cara que jamais pode jogar a toalha, porque ele é o comandante. No vestiário, ele diz que temos capacidade e condição. Ainda temos esperança de conseguir a vaga na Libertadores’, comentou o atleta.

Depois da derrota para o Santos, o treinador afirmou que as chances de classificação do Verdão ficaram muito reduzidas, pois o clube ocupa agora a nona posição no Campeonato Brasileiro, com 40 pontos.

Ainda nos vestiários da Vila Belmiro, Felipão também reclamou do desempenho de sua equipe, mas Marcos Assunção não ficou chateado com a bronca pública dada pelo chefe.

‘Todos nós sabemos como é o jeito do Felipão. Depois do jogo, ele fica nervoso e explode. Mas, no vestiário, conversa com a gente. Sabemos como ele age depois dos jogos que perdemos, é normal treinador ficar nervoso. Temos de estar tranquilos quanto a isso, sem causar polêmica por causa das declarações, porque ele quer o bem do time. No dia depois de derrota, sempre tem a reunião, e ele dá algumas duras’, afirmou, para completar.

‘É pior para o treinador do que para o jogador (uma derrota), porque é a cabeça dele que está sempre ali para ser cortada. Se eu fosse treinador, agiria assim também, porque minha vida que estaria em jogo’, acrescentou.

Marcos Assunção também fez questão de advertir que mantém a expectativa de alcançar uma vaga na Libertadores, mesmo estando a seis pontos do último clube da zona de classificação.

‘Depois do resultado negativo que tivemos, ficou difícil, mas nós nunca devemos jogar a toalha. Vamos jogar contra dois times que estão brigando também, que são Flamengo e Fluminense. Faltam dez jogos e ainda dá tempo. Temos esperança de voltar a ganhar’, salientou.