Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Após perder título, Unilever destaca superioridade do Sollys/Nestlé

Após perder o título da Superliga feminina diante dos olhos de sua torcida e sendo dominado completamente na partida, o Unilever pensa nos erros que cometeu, tirando o título de suas mãos. Bernardinho, técnico da equipe carioca, saiu extremamete frustrado do Maracanãzinho, mas reconheceu a superioridade técnica do Sollys/Nestlé, que venceu com parciais de 25/14, 25/18 e 25/23.

‘Foi uma campanha de altos e baixos. Chegamos à final com muita luta, mas na decisão o time foi instável e errou mais do que poderia’, destacou o treinador da equipe carioca. ‘Acho que, fundamentalmente, elas são uma equipe mais forte, jogaram bem. Não saio satisfeito daqui porque sei que não consegui fazer um bom trabalho. Peço desculpas ao nosso torcedor, que se frustrou e ficou triste. Tudo é um aprendizado’, completou.

A líbero Fabi também reconheceu que o Unilever não jogou um voleibol digno de uma final e, assim como Bernardinho, também elogiou o time paulista. ‘A gente não jogou como gostaria. Sabíamos da qualidade do time delas e teríamos que jogar acima do ritmo para equilibrar. Elas são uma equipe que saca bem, bloqueia bem. A gente sai devendo um pouco para nós mesmos. Não fizemos o que deveríamos ter feito’, analisou.

Pelo lado da equipe de Osasco (SP), a sensação foi de dever cumprido. Luizomar de Moura, comandante do time laranja, ressaltou o duro trabalho realizado pelas atletas do Sollys/Nestlé. ‘Nessa horas o show é delas’, afirmou Luizomar. ‘Saimos em algumas partidas com o orgulho ferido, a gente sabia que muitas tiveram uma temporada internacional difícil, tivemos que adaptar uma americana. Já vim muito aqui e saí mais como perdedor do que como vencedor, mas não desisti. Se eu pudesse, deitava aqui no Maracanãzinho e ficava o dia inteiro olhando pra esse teto’, contou o feliz treinador.

A campeã Fabíola, levantadora do Sollys/Nestlé, também se mostrou muito feliz por ter conquistado o tão sonhado título nacional. ‘Não estou nem acreditando ainda que sou campeã da Superliga. Cresci bastante, joguei bem, estou amadurecendo, mas ainda tenho que melhorar mais, conquistar mais coisas’, apontou.

A jogadora, um dos destaques da decisão, ainda deixou um recado para o técnico da Seleção brasileira, José Roberto Guimarães:.’Estou melhorando, Zé. Daqui a pouco chega do jeito que você quer, se Deus quiser. Estou muito feliz, me preparei muito para esse momento, tentei ficar o mais tranquila possível. Agora é Seleção’, disse Fabíola.

Com o triunfo no ginásio Maracanãzinho, a equipe de Osasco chegou ao pentacampeonato da Superliga feminina. Nos últimos oito anos, todas as finais foram entre as duas equipes, com três títulos para o campeão deste sábado contra cinco do Unilever. A partida marcou a despedida da levantadora Fernanda Venturini, do Unilever, esposa do técnico Bernardinho.