Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Andrés rebate insinuações do presidente do Santos

Por Almir Leite

São Paulo – O diretor de seleções da CBF, Andrés Sanchez, respondeu com dureza e ironia as insinuações do presidente do Santos, Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro, de que há um complô corintiano contra o time que dirige, com a participação da CBF e do técnico da seleção brasileira, Mano Menezes. Luis Alvaro disse que Mano só convoca jogadores santistas, deixando-os esgotados fisicamente, e preserva os do Corinthians.

“Ele foi o único presidente de clube que pediu a convocação de um jogador. Pediu a convocação do Arouca. Então, deve ser ele o chefe do complô”, ironizou Andrés nesta sexta-feira, durante visita ao Itaquerão, em companhia do presidente da CBF, José Maria Marin, e do presidente do Corinthians, Mário Gobbi.

Ex-presidente do Corinthians, Andrés também se disse triste e decepcionado com o mandatário santista, mesmo levando em consideração que ele possa ter dado as declarações de cabeça quente, no calor da derrota. “Ele me conhece e ao Marin e sabe que isso não existe. Eu já fui presidente de clube e sei dos problemas, mas é preciso pensar um pouco antes de falar. Do jeito que ele fala, é discurso de quem já está derrotado. Ainda não terminou”, afirmou o diretor da CBF, referindo-se ao jogo de volta entre Corinthians e Santos, quarta-feira, no Pacaembu, pela semifinal da Libertadores.

O diretor da CBF lembrou que, no ano passado, o Santos também teve vários jogadores convocados para a seleção e acabou sendo campeão da Libertadores. E ainda mandou um recado a Luis Alvaro: se não quiser ter mais jogadores do Santos convocados, é só falar. “Não tem problema nenhum. A seleção não quer ninguém insatisfeito. O Neymar é um grande jogador, mas se ele e o Santos não quiserem servir à seleção, não tem problema”, avisou Andrés.

Durante a visita desta sexta-feira, Marin ficou encantando com as obras do Itaquerão. Ele lembrou o fato de ser são-paulino, mas se disse orgulhoso pelo que o Corinthians está fazendo. E pediu a Andrés que leve a seleção brasileira para treinar no CT de Cotia, do São Paulo, para o jogo de 7 de setembro contra o Chile, que será disputado no Morumbi. “É por uma questão de lógica. O CT de Cotia fica mais perto do estádio”, justificou o presidente da CBF. “Eu tenho de agir como diretor da seleção. A seleção vai treinar lá”, garantiu Andrés.