Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Agência de Ronaldo rompe com lutadores em protesto contra o UFC

Empresa de marketing esportivo do ex-jogador condenou a nova política de patrocínios de Dana White e encerrou parceria com Belfort e Cigano

O ex-jogador Ronaldo e sua empresa de marketing esportivo, a 9ine, decidiram bater de frente com o UFC. Nesta segunda-feira, a 9ine anunciou que se retirou de qualquer negociação envolvendo o UFC por não concordar com a nova política de patrocínios da entidade. Consequentemente, a empresa, que já havia cortado os laços com Anderson Silva, deixará de gerenciar a carreira de Vitor Belfort e Júnior Cigano.

Leia também:

UFC: Belfort nocauteia Henderson e vence tira-teima em SP

‘O futebol fora do Brasil é um bom negócio’, diz Marcus Buaiz

Ronaldo inaugura sua primeira academia de futebol

O alvo dos protestos da 9ine – e de vários outros esportistas e profissionais ligados ao MMA – é a parceria entra o UFC e a fornecedora de material esportivo Reebok. O acordo de exclusividade obriga que todos os atletas contratados pelo UFC subam ao octógono com uniformes da marca e também proíbe a exibição de banners dos patrocinadores pessoais dos lutadores.

“A agência não acredita no novo modelo adotado pela empresa na captação de patrocínio e é de opinião que este fere diretamente todos os atletas da organização, além das empresas que apoiaram e apostaram no UFC por longos anos”, escreveu a 9ine em um comunicado.

Vários atletas, como o brasileiro José Aldo, já haviam criticado a parceria entre Reebok e UFC, alegando que o valor repassado pela marca aos atletas é bem inferior ao que receberiam de seus patrocinadores pessoais. Em julho, o americano Jacob Stitch Duran, o mais famoso cutman (profissional responsável por cuidar dos ferimentos dos atletas durante as lutas) do MMA, foi demitido por Dana White por criticar publicamente o acordo – fato que revoltou o brasileiro Wanderlei Silva.

A 9ine, fundada em 2011 por Ronaldo e seu sócio Marcus Buaiz, teve como primeiro cliente o lutador Anderson Silva, justamente no momento em que o UFC se tornou febre no Brasil. Ronaldo chegou a comparecer a diversos eventos da organização ao lado de Anderson, mas a empresa decidiu encerrar a parceria meses antes de o lutador ser pego em exame antidoping após a luta contra o americano Nick Diaz.

Comunicado divulgado pela 9ine sobre o rompimento com o UFC

Comunicado divulgado pela 9ine sobre o rompimento com o UFC (VEJA)

(da redação)