Adriano admite sondagens, mas quer permanecer no Santos

Titular do meio-campo do Santos, o volante Adriano está conversando com a direção do clube para prorrogar o seu atual contrato, válido até agosto de 2013. Valorizado devido ao seu bom rendimento nas duas últimas temporadas, o jogador admitiu ter recebido sondagens – times brasileiros e estrangeiros já procuraram se informar sobre a sua situação – para deixar a Vila Belmiro, mas garantiu que a sua intenção é continuar vestindo a camisa do Peixe.

‘Sondagens sempre existem, porém, não chegou nenhuma proposta oficial. Além disso, a minha cabeça está voltada para o Santos. Quero continuar. Eu não penso em sair, pois quero alcançar novos objetivos pelo clube’, disse Adriano, em entrevista à Santa Cecília TV.

Um dos salários mais baixos do atual elenco santista, Adriano, que recebe R$ 30 mil por mês, ainda precisa resolver um entrave jurídico para firmar novo vínculo com o Alvinegro Praiano. Isso porque o seu antigo empresário, Sérgio Dias, é dono de 40% dos seus direitos econômicos.

O Santos estuda comprar o percentual que está nas mãos do agente, por R$ 300 mil, e entregar os direitos para Adriano, como forma de pagamento das luvas do novo contrato. O presidente Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro destacou que essa é uma das alternativas mais cotadas para resolver o imbróglio, mas outras opções também estão sendo estudadas pelo departamento jurídico do Peixe.

‘Estou esperando a proposta do Santos chegar. Os meus empresários (Tadeu Cruz e Bosco Pereira Leite) estão vendo isso para mim. Estou focado em jogar e ajudar o Santos a sair dessa situação difícil no Campeonato Brasileiro. Mas espero que tudo se resolva, até para eu ter mais tranquilidade para continuar o meu trabalho’, concluiu.

Enquanto aguarda a solução para sua renovação contratual, Adriano não poderá ser utilizado pelo técnico Muricy Ramalho, no próximo desafio santista no Brasileirão. Suspenso pelo terceiro cartão amarelo, o volante não enfrenta o Náutico, no próximo domingo, a partir das 18h30 (horário de Brasília), nos Aflitos.