A dupla croata que tira o sono de Felipão antes da estreia

Treinador da seleção brasileira confessou preocupação com Modric e Rakitic

Além dos bons armadores, a seleção croata conta também com uma dupla de ataque bem entrosada – e brasileira: Eduardo da Silva e Sammir

O técnico da seleção brasileira, Luiz Felipe Scolari, garante ter estudado todos os pontos fortes da Croácia, adversária da partida de abertura, em 12 de junho, no Itaquerão. Depois da vitória no amistoso contra a Sérvia, Felipão falou sobre a qualidade do setor ofensivo da primeira adversária na Copa. De acordo com ele, os meio-campistas Luka Modric e Ivan Rakitic são os atletas mais perigosos e receberão atenção especial na estreia. “Uma das principais diferenças da Croácia é que eles têm dois jogadores criativos e que erram poucos passes, o Modric e o Rakitic. Podem não ter a mesma pegada dos jogadores sérvios, mas com a bola eles não são nada fáceis. Vamos fazer uma marcação na saída de bola principalmente desses dois jogadores”, adiantou o treinador.

Leia também:

Pressão, vaias, ansiedade? A seleção diz estar preparada

Na semana da Copa, seleção pronta e inteira. Já os rivais…​

O lema do Brasil de Felipão na Copa: ‘Quem não toma, faz’

Felipão admite ‘Neymardependência’, mas aposta em Fred

Com essa declaração, Scolari provou que está atento aos principais campeonatos da Europa. Luka Modric e Ivan Rakitic foram destaques de suas equipes e levantaram troféus continentais nesta temporada. Jogador mais famoso do elenco croata, Modric se firmou como titular do Real Madrid e foi fundamental na conquista da Liga dos Campeões. O jogador de 28 anos é um autêntico camisa 10 – apesar de jogar mais recuado no Real – e foi apelidado de “Cruyff dos Balcãs” por sua semelhança física e técnica com o craque holandês da década de 1970.

Rakitic também viveu a melhor temporada de sua carreira, jogando pelo Sevilla, da Espanha. O meio-campista de 26 anos foi o principal armador da equipe andaluz na campanha vitoriosa da Liga Europa. Ele também foi destaque na comemoração do título, ao ser flagrado dando um selinho no companheiro Daniel Carriço. Já na concentração da equipe na Bahia, Rakitic brincou com a situação: disse ser casado com uma bela mulher e justificou o gesto carinhoso como um ato de euforia. Com dribles e belos gols, Rakitic foi sondado para reforçar o Barcelona, mas disse que só decidirá seu futuro depois do Mundial.

Naturalizados – Além dos bons armadores, a seleção croata conta também com uma dupla de ataque bem entrosada – e brasileira. Eduardo da Silva e Sammir, que nasceram no Brasil, mas construíram suas carreiras no Leste Europeu, não são titulares, mas aguardam uma chance do técnico Niko Kovac. O carioca Eduardo, que passou pelo Arsenal e atua no Shakhtar Donetsk, revelou recentemente a vontade de cantar os dois hinos na abertura da Copa. Com a suspensão de Mario Madzukic, atacante do Bayern de Munique, na primeira rodada, Sammir e Eduardo têm esperanças reais de enfrentar o Brasil na quinta-feira.