Group 21 Copy 4 Created with Sketch.
Entretenimento

O reinado de Adele e Beyoncé

Poderosas, ricas e talentosas, as duas cantoras se enfrentam em um duelo de titãs no Grammy 2017

Poderosas, ricas e talentosas, as duas cantoras se enfrentam em um duelo de titãs no Grammy 2017. Beyoncé soma nove indicações, graças ao versátil disco Lemonade, presente em categorias de pop, rock e rap. Adele, com o álbum 25, tem cinco nomeações. Ambas são as únicas entre os indicados que concorrem nas três principais categorias do prêmio: melhor álbum, melhor gravação e melhor música.

Para além do Grammy, as cantoras construíram uma carreira sólida, que alia sucesso de crítica e de vendas. Não à toa, são donas de recordes, troféus variados e um fiel séquito de fãs. Confira no especial abaixo os caminhos trilhados pelas duas grandes divas da música atual:


CARREIRA

Adele

Avessa aos palcos, Adele ganhou projeção na internet, ao postar canções autorais no site MySpace. Foi a partir da plataforma que ela conseguiu um contrato com a gravadora XL Recordings, aos 18 anos. O primeiro disco, batizado de 19, sua idade à época, saiu em 2008. O álbum foi o primeiro de uma trilogia, completada por 21 (2011) e 25 (2015). Para os padrões da indústria fonográfica, o período entre os discos foi longo e considerado perigoso – Adele poderia ser esquecida entre um trabalho e outro. Porém, a cada lançamento, ela se mostrou mais forte e relevante. Em 2012, faturou seis troféus de uma vez no Grammy, recorde só igualado por Beyoncé, entre as cantoras. Em 2013, ela ainda angariou um Globo de Ouro e um Oscar pela canção Skyfall, trilha sonora de 007 – Operação Skyfall.

Beyoncé

Com apenas 7 anos, Beyoncé já soltava a voz em competições infantis e no coral da igreja Metodista St. John, em sua cidade natal. O sucesso viria em 1998, ano de explosão do grupo feminino Destiny’s Child, formado por ela ao lado de Kelly Rowland, LaTavia Roberson e LeToya Luckett. A carreira solo começou em 2003, com o disco Dangerously in Love, seguido por B’Day (2006), I Am… Sasha Fierce (2008), 4 (2011), BEYONCÉ (2013) e Lemonade (2016). Em seus dois últimos álbuns, Beyoncé passou do R&B romântico com batidas pop para um hip hop ousado e com letras de protesto.


REDES SOCIAIS

<span>–</span>

(Arte/VEJA.com)

PREMIAÇÕES

Principal honraria da música, o Grammy possui 84 categorias, repartidas por estilos, álbuns e músicas, trabalhos na forma solo e em grupo, além de especificidades técnicas. Dentre tantas subdivisões, quatro são consideradas as mais importantes: álbum do ano, canção do ano, gravação do ano e artista revelação. Confira abaixo o desempenho de cada cantora na cerimônia:

Adele e Beyoncé dividem o recorde de mulheres que mais ganharam troféus no Grammy em uma noite: 6 estatuetas cada


CANÇÕES MAIS PREMIADAS

Adele

Beyoncé


OUTROS PRÊMIOS

<span>–</span>

(Arte/VEJA.com)

VENDAS

Em uma época em que a indústria fonográfica pena para sobreviver, Adele é uma das artistas que ainda vende — e muito. A britânica lançou 25 primeiro nas lojas físicas e virtuais, e só disponibilizou nos sites de streaming meses depois. Já Beyoncé tem se mostrado mais ousada em sua estratégia de marketing. Consequentemente, seus dados de venda parecem menores. Seus dois últimos trabalhos, BEYONCÉ e Lemonade, foram lançados de surpresa na internet, sem campanha de publicidade prévia. O mais recente ganhou um filme na HBO primeiro e, até o momento, só pode ser comprado, em lojas físicas e virtuais, ou ouvido na plataforma de streaming do marido, o Tidal. A exclusividade rendeu ao canal de streaming mais de 1,5 milhão de novos assinantes.


<span>–</span>

(Arte/VEJA.com)

25 e Lemonade foram os discos mais vendidos nos EUA em 2016, juntamente com Views, do cantor Drake

** Os dados são referentes a vendas de discos de estúdio físicos e digitais

Fontes: Forbes, Billboard, Nielsen Music, Recording Industry Association of America (RIAAA) e Official Charts Company UK

CONTA BANCÁRIA


INFLUÊNCIAS

Mary J. Blige, Aretha Franklin, Etta James e Ella Fitzgerald são algumas das artistas que serviram de inspiração tanto para Beyoncé quanto para Adele. Nomes mais atuais, como Spice Girls, Mariah Carey, Janet Jackson e Michael Jackson também são citados por ambas. Em um clima de competição leal, as cantoras garantem que se sentem influenciadas uma pela outra.

'MIGAS'

Beyoncé é a pessoa mais inspiradora que eu já tive o prazer de conhecer e admirar. Seu talento, beleza, graça e ética de trabalho são uníssonos. Ela é a melhor artista do mundo (…) Eu escuto suas músicas desde os 17 anos e ela continua fazendo canções explosivas.

Adele sobre Beyoncé, no Instagram e durante um show na Dinamarca
<span>–</span>

(Grammy/Divulgação)

Quando Adele canta, você sabe que está vindo de uma fonte sem filtros: honesta e pura. Ela cria canções íntimas, que deixam expostas sua dor e vulnerabilidade. Ela te transporta para lugares a que outros artistas não vão mais, como era feito nos anos 1970.

Beyoncé sobre Adele para a revista Vanity Fair


Texto: Raquel Carneiro
Edição: Maria Carolina Maia
Design e programação: Alexandre Hoshino, André Fuentes e Sidclei Sobral