BARRACAS DE PRAIA

 

Barraca do Lôro

Eleita pelo júri de VEJA, pelo segundo ano consecutivo, a melhor barraca de praia de Salvador, a Barraca do Lôro é a preferida pela rapaziada. Decorada com obras de arte de Bel Borba, na Praia do Flamengo, e de Sérgio Rabinovitz, na Praia de Catussaba, a barraca não abre mão da figura do papagaio, ave-símbolo do lugar.

Fernando Vivas

Lôro: mais incrementada e concorrida da cidade


A música ambiente é variada e o sistema de som, descentralizado. O verão da barraca é bastante movimentado, com direito a luaus e serviço de massagem. Além disso, nesta época do ano uma loja de conveniências funciona no local. Para beber, as opções são roskas, cervejas, vinho, vodca, conhaque e uísque. São servidos peixes, mariscos, carnes e queijos. A novidade para este verão é o carpaccio de polvo ou salmão (R$ 9,00 para duas pessoas). Tem ainda o queijo de búfala (R$ 5,50), o peixe vermelho frito (R$ 17,00 para quatro pessoas), camarão pistola (R$ 15,00) e puã de caranguejo à milanesa (R$ 10,00 para duas pessoas). Para o almoço, tem moquecas, ensopados e maniçoba.

Rua do Camping, s/nº, Alameda das Praias, Praia de Catussaba; Praia do Aleluia, Praia do Flamengo, 374-7509 e 9962-5023. 9h/18h (ter. a dom.).

 

Aqualoca
Rua das Sete Casas, Pedra do Sal, Itapuã, 374-6172 e 9138-7684. Inverno: 8h30/19h (sáb. e dom.), verão: 8h30/19h (qui. a dom.).
Chama a atenção pela variedade de shows musicais. Bandas e som mecânico agitam os luaus, no verão. Blues, jazz, MPB ou rock clássico são os ritmos da barraca. O peixe (R$ 10,00 por 700 gramas) servido com salada, farofa e fritas é um dos pratos que têm mais saída. Prove também o caranguejo acompanhado de pirão (R$ 7,00 com cinco unidades) ou o bolinho de peixe (R$ 6,00 por oito unidades). Para beber, roskas (R$ 3,00) de todos os tipos de frutas da época.

Aruba Barraca dos Artistas
Praia dos Artistas, Boca do Rio, 461-2464. Inverno: 8h/18h (seg. a dom.), verão: 8h/último cliente (seg. a dom.).
É uma das barracas mais tradicionais da Boca do Rio, com quase dez anos. É freqüentada principalmente pelo público GLS. Durante a semana, o estilo de música mais tocado é o pop rock, enquanto sábado e domingo são dias de axé. Entre os tira-gostos mais pedidos está o caldo aruba (R$ 3,00), preparado com diversos frutos do mar, como polvo, siri, ostra, camarão, peixe. O caranguejo (R$ 1,30, a unidade) é o campeão de vendas. Durante a semana a cerveja custa R$ 1,40 e aos sábados, domingos e feriados sobe para R$ 1,80.

Barraca Azul Marinho
Praia de Stella Mares, 374-4083. 8h/18h (seg. a dom.).
São dois quiosques que no verão chegam a empregar cerca de trinta funcionários, para atender a legião de turistas que engrossa o público cativo da barraca. Nos finais de semana, é um dos principais pontos de paquera da região. Entre os quiosques existem mesas compridas de madeira, dispostas sobre o chão calçado, debaixo de uma boa sombra. Há um chuveiro em forma de peixe ao lado de uma casinha de madeira, onde funcionam dois banheiros sempre bem limpos. O mar é agitado, mas, quando a maré está baixa, formam-se piscinas, ideais para o banho. Depois de arriscar um mergulho, experimente o peixe frito (de R$ 15,00 a R$ 23,00), servido com salada de cenoura, tomate, cebola e farofa.

Barraca Biruta Tchê
Praia de Stella Mares, 374-3972. 8h/18h (ter. a dom.). Cc.: M e V.
Há cinco anos, os irmãos Newton e Wilson mantêm a barraca que é uma das preferidas da região. A melhor dica para encontrá-la são as birutas, que, além de indicar a direção dos ventos, dão a pista para o lugar. A barraca é decorada por esculturas de tronco de coqueiro, obras dos irmãos. Para facilitar o movimento de pessoas pelas redondezas da barraca, existem trilhas feitas com pedaços de madeira. A barraca é uma verdadeira loja de conveniência. Vendem-se camisinhas, analgésicos, antiácidos e absorventes. Em relação aos pratos, o forte é o peixe assado na brasa (de R$ 15,00 a R$ 19,00), servido com farofa e salada. Entre os tira-gostos, destacam-se a carne-de-sol (R$ 8,99) e o bolinho de camarão com catupiry (R$ 6,50 com cinco unidades). Para acompanhar, cerveja (R$ 1,80).

Barraca do Eduardo
Alameda das Praias, Catussaba, 374-0201 (telefone público). 8h/18h (seg. a dom.).
Fica sobre um passeio de pedra, decorado por um jardim com cactos, e está separada da outra barraca por uma cerquinha de madeira. É equipada com banheiro químico e chuveiro. O ambiente é freqüentado por um público jovem, entre 20 e 30 anos. No cardápio, os pratos com mais saída são o peixe frito (R$ 13,00), servido com farofa, arroz e salada, o frango à passarinha (R$ 5,00), com farofa e salada, e o filezinho (R$ 8,00), com farofa, salada e aipim. Destaque também para o caranguejo (R$ 1,50), acompanhado de pirão. Para refrescar, peça cerveja (R$ 1,70).

Barraca da Gávea
Rua Praia da Urca, s/nº, Vilas do Atlântico, 379-7652. 9h/último cliente (seg. a dom.). Cc.: A, D, M e V.
Funcionando há quinze anos, é uma das barracas mais antigas de Vilas do Atlântico e também uma das mais bem estruturadas da região. O quiosque é todo de madeira e coberto por telhas. Possui quatro sanitários: masculino, feminino, infantil e para gestantes e idosos. Dispondo de três áreas para a prática de vôlei de praia, empresta bolas e redes aos clientes. O cardápio, em três idiomas, serve tira-gostos variados, como lambreta (R$ 4,00, a dúzia), bolinho de peixe (R$ 6,00, oito unidades), caldos de polvo (R$ 3,50), sururu (R$ 3,00) e feijão (R$ 2,50), além do caranguejo (R$ 4,50, três unidades). Para beber, cerveja gelada (R$ 2,00).

Barraca de Jajá
Avenida Otávio Mangabeira, Praia de Jaguaribe, em frente ao Campomar, 249-7943. 8h/19h (seg. a dom.). T.: Tr e Vr.
A barraca de dona Jacira ficava na Praia de Plakafor, mas com a revitalização da orla foi transferida para Jaguaribe. É o point dos cantores de axé, como Ivete Sangalo, Cid Guerreiro, André Lelis, Jorge Zaratti e Durval Lélis. No último dia de Carnaval, Durval Lélis costuma ir com seu minitrio, o Trivela, fazer o encerramento da festa em frente da barraca. O polvo é a especialidade do cardápio. O mais procurado é o cipoeiro (R$ 18,00, para três pessoas), polvo vinagrete com ovo de codorna e pirão. Para beber, prove a gabriela (R$ 2,00), preparada com cravo, canela, limão e mel, e as misturoskas (R$ 3,00), feitas com cinco frutas.

Barraca La Dolce Vita
Praia de Stella Mares, 9987-7275. 8h/18h (seg. a dom.).
Cada mesa tem direito a uma espreguiçadeira, que também pode ser alugada por R$ 3,00, caso o cliente queira mais uma. Para sentir-se ainda melhor, só mesmo um bom tira-gosto. Experimente a lula empanada (R$ 7,00), o camarão alho e óleo (R$ 15,00) ou o peixe frito vermelho (de R$ 13,00 a R$ 19,00), servido com feijão-fradinho, farofa e vinagrete. Para beber, prove o drinque la dolce vita (R$ 5,00), à base de abacaxi.

Barraca do Luciano
Avenida Otávio Mangabeira, em frente ao Parque de Pituaçu, 461-1761. 8h/19h (ter. a dom).
Quando foi demitido, há dez anos, o economista e ex-funcionário público investiu parte do dinheiro da rescisão numa barraca de praia. É freqüentada por professores, economistas, administradores, médicos e funcionários públicos. Considerada o point "cabeça" da praia, têm até constituição, escrita pelo próprio Luciano Ferreira e seus clientes mais antigos. No decorrer do ano, a barraca pára dois dias para servir um cardápio especial. Na Quarta-Feira de Cinzas é dia do bacalhau; no dia do funcionário público, da rabada barnabé. Para beber, além da cerveja gelada, há as roskas (R$ 3,00) com variadas frutas.

Barraca Mare Blu
Praia de Búzios, Vilas do Atlântico, Lauro de Freitas, 379-5386. Inverno: 8h/19h (sex. a dom.); Verão: 8h/19h (todos os dias). Cc.: A, M e V.
Os novos proprietários são italianos, que reformaram todo o quiosque, onde funcionava a antiga Búzios. Parte da calçada, ao redor da barraca, tem mesas que vão até a areia. No cardápio, delícias da culinária italiana em pleno litoral baiano. Experimente o spaghetti alla carbonara (R$ 15,00 para duas pessoas), com ovos e bacon. Para petiscar, caranguejo (R$ 1,50 a unidade) ou lambreta (R$ 4,00 a dúzia). Prove ainda o drinque mare blu (R$ 3,80), com vodca, curaçau e suco de limão.

Barraca Point do Raimundo – Baleia
Rua Sereno da Madrugada, s/nº, Pedra do Sal, 374-2901 (público). 7h/19h (seg. a dom.).
É mais conhecida pelo nome de um de seus garçons, o Baleia. Escondidinha em Itapuã, esta barraca é vizinha de personalidades baianas, como a cantora Margareth Menezes e o artista plástico Carlos Bastos. Tem mesas de granito e de plástico, sob coqueiros, espalhadas na frente da barraca. A cerveja sai por R$ 1,70. Os petiscos servidos são variados, desde pastel (R$ 1,00) a peixe frito (R$ 12,00, para duas pessoas).

Barraca Tchê
Avenida Praia de Ipitanga, 9 e 10, Ipitanga, 378-0010. 7h/18h (seg. a dom.). Cc.: A, D, M e V.
A barraca tem boa infra-estrutura, com cinco banheiros e seis duchas de água doce. São 25 mesas dispostas na areia e entre três quiosques, sobre uma área de grama sintética. Caranguejo (R$ 1,50), pirão (R$ 3,00) e lambreta (R$ 4,50 a dúzia) são os tira-gostos mais procurados. Experimente também o peixe assado na telha (R$ 16,00 para duas pessoas). Para beber, são servidas roskas (R$ 3,00) de frutas variadas. Para agilizar o atendimento, os garçons circulam pelas três barracas com rádio de comunicação.

Barraca Villas Beach
Rua Ipanema, Vilas do Atlântico, 379-5076. 10/19h (seg. a sex.); 10h/18h (sáb. a dom.). Cc.: A, M e V.
A barraca é feita de tijolos, coberta com telhas e apresenta varanda cercada e escada que dá acesso à praia. O principal atrativo é a lambreta na chapa (R$ 6,80), servida ao molho de queijo, maracujá ou verde. Como tira-gosto ou refeição, a barraca serve peixe vermelho frito tamanho família (R$ 28,80 para cinco pessoas), com farofa e salada. Para acompanhar, misturoska (R$ 3,20), combinação de vodca e frutas da época. A cerveja custa R$ 2,00.

Batumaré
Avenida Praia de Ipitanga, s/nº, Ipitanga, Lauro de Freitas, 378-0751. 7h/último cliente (seg. a dom.). Cc.: D e M. T.: Ta e Va.
O quiosque é bem estruturado, feito de madeira, com piso cimentado e acima do nível da praia. Fica localizado na orla da Praia de Ipitanga, um dos lugares mais movimentados de Lauro de Freitas. São servidos cerca de 25 petiscos, como pititinga frita (R$ 5,00), agulhinha frita (R$ 5,00), lambreta (R$ 4,00, a dúzia), ostra crua (R$ 4,00, a dúzia). O mais pedido é o caranguejo (R$ 1,20, a unidade). Para refrescar, cerveja gelada (R$ 1,70) e roskas (R$ 3,00 a R$ 3,50) de frutas variadas.

Cabana Coral
Praia de Stella Maris, 374-5319. 7h/19h (ter. a dom.). T.: todos.
Uma ampla área verde cercada de coqueiros. As cadeiras estão distribuídas sobre a grama e a areia. Os estilos de música mais tocados são rock e MPB. No verão, realizam-se luaus com apresentação de bandas de rock. No cardápio, podem-se encontrar 25 tira-gostos, como rissole de camarão e bolinho de queijo (R$ 6,00 oito unidades). As roskas são feitas com frutas variadas, como umbu, cajá, caju, acerola (R$ 2,80), kiwi e morango (R$ 3,50).

Cabana do Sol
Praia do Flamengo, fim de linha, 374-5832. 8h/18h (seg. a dom.). T.: todos.
É toda calçada ao redor e cercada de coqueiros. Chama a atenção o jardim, colorido pelo vermelho e amarelo do cercado. É equipada com chuveiro e banheiro, o que dá mais conforto aos freqüentadores. Os clientes são embalados pelo pop e rock enquanto saboreiam uma carne-de-sol (R$ 7,00), com farofa e vinagrete ou pirão. Para beber, nada melhor que uma água-de-coco gelada (R$ 1,20) ou cerveja (R$ 1,70).

Kabana do Guery
Rua Conde das Castanheiras, s/nº, Amaralina. 8h/último cliente (seg. a dom.).
Longe das estruturas das barracas de Vilas do Atlântico, a Kabana do Guery funciona num modesto quiosque em Amaralina, com mesas e cadeiras de plástico dispostas na praia. A barraca só abre durante seis meses, justamente no verão: de novembro a abril.

Odoyá Iemanjá
Rua Praia de Icaraí, s/nº, Vilas do Atlântico, 379-3074. 8h/18h (ter. a dom.). Cc.: todos.
É uma das barracas mais badaladas de Vilas do Atlântico devido à estrutura. O quiosque é todo de madeira, coberto por telhas. As mesas e cadeiras também são de madeira, com desenhos esculpidos. Na entrada há dois jardins decorados com esculturas de Iemanjá, de madeira, uma seguindo a linha do candomblé e outra, da umbanda. Prove o peixe tropical (R$ 28,00, para quatro pessoas) frito inteiro e decorado com frutas. Para beber, roskas (R$ 3,00).

Roxi
Avenida Mar e Sol, Praia de Ipitanga, 378-6032. 8h/18h. Cc.: A, D, M e V.
Bar e restaurante à beira-mar, com paredes de madeira e janelas de vidro. Entre os tira-gostos, os mais pedidos são a lambreta (R$ 4,00) e o arrumadinho (R$ 8,00). Outra sugestão é o peixe vermelho frito, servido em três tamanhos (de R$ 12,00 a R$ 17,00), com vinagrete, farofa, salada e arroz. Serve ainda opções de frango, picanha e sobremesas. Experimente a cocada branca ou preta (R$ 3,00).

 

 
Barracas de praia Música ao vivo
Botecos/Bons e baratos Para dançar
Cafés Ensaio de blocos
Choperias Para ir a dois
Depois da praia Paquera
Fim de noite/Boemia Vista da cidade
Happy hour  

 

 
VEJA on-line | Veja São Paulo | Veja Rio