Vasco da Gama, 1020: melhor bar para paquerar em Porto Alegre

O clima de descontração e a ótima carta de drinques ajudam a quebrar o gelo e propiciam novos encontros

O endereço que batiza esta casa ganhou fama antes mesmo de abrigar um bar. A antiga residência do advogado Eduardo Titton Fontana, 30 anos, foi palco de festas, vernissages e serviu de locação para séries e filmes publicitários. Em 2015, decidido a assumir de vez a vocação boêmia do lugar, ele se mudou de lá e, em parceria com o irmão, Fernando, abriu oficialmente as portas ao público. No ambiente de pé-direito alto e iluminação sutil, a especialidade são os drinques — é justamente ao redor do balcão que se concentra a clientela eclética, que vai de moderninhos a engravatados, disposta a conhecer gente nova. A paquera fica mais animada graças à carta de drinques elaborada pela bartender Bruna Abeijon, com sugestões autorais, a exemplo do ubá (R$ 21,00), à base de cachaça, xarope de erva-mate, camomila, limão e clara de ovo, e do pólen (R$ 18,00), que combina vodca, licor de açaí, limão, hibisco e água com gás. Há também uma lista assinada pelo barman Leonardo Tonetto com cerca de dez versões de gim-tônica, cada uma delas preparada com um rótulo diferente. No térreo, no mezanino ou no jardim dos fundos, reina um clima de descontração, e a ideia é que o público fique à vontade para transitar pelo espaço, pedir as bebidas direto no balcão e solicitar os comes na bancada da cozinha. Os petiscos, aliás, são rotativos, e o cardápio costuma ficar disponível apenas por um mês ou até que um novo chef assuma as caçarolas. Não estranhe se esbarrar com a mascote (e antiga moradora) do lugar, a buldogue Dilma, cuja caricatura ilustra os cardápios e as comandas entregues aos clientes no início da noite.

Rua Vasco da Gama, 1020, Bom Fim, (51) 99327-1480 (50 lugares). 18h/0h (fecha dom. e seg.). Aberto em 2015.

 

2º Lugar – 72 New York

Um DJ anima o ambiente a partir das 20h30, fazendo o famoso esquenta para a programação eclética de shows. Depois, nomes reconhecidos do público gaúcho sobem ao palco. A variedade etílica inclui a cerveja Budweiser (R$ 10,00 a long neck) e a caipirinha de morango (R$ 20,00). Na cozinha é preparada a tábua 72, que agrupa iscas de picanha, polenta, pães temperados, tomate-cereja, ovo de codorna e farofa (R$ 40,00, para três pessoas). O local abre para almoço à la carte, das 11h30 às 14h30.

Avenida Nova York, 72, Auxiliadora, (51) 3012-0172 (400 lugares). 18h/4h (sáb. a partir das 19h; fecha dom. e seg.). Aberto em 1985.

 

3º Lugar – Rambla

Aromas hispânicos dão o tom da cozinha do bar, que expede tapas como os camarões bravos, salteados com alho, molho picante agridoce e cebolinha (R$ 130,00, para duas pessoas). Outra opção são os pinchos, espetinhos como o que leva gorgonzola e damasco(R$ 12,00 a unidade). Entre as bebidas, a sangria (R$ 70,00, 1 litro) disputa a preferência dos clientes com o chope Stella Artois (R$ 10,90, 340 mililitros).

Rua Félix da Cunha, 977, Moinhos de Vento, (51) 3222-0230 (350 lugares). 19h/1h (qui. a sáb. até 3h30; fecha dom. e seg). Entrada: R$ 10,00 a R$ 30,00 (qui. a sáb. após as 21h). Aberto em 2013.