Tim Maia terá corpo exumado para exame de paternidade

Ação foi desencadeada por uma investigação pedida por uma mulher que acredita ser filha do cantor. Irmãos e filho de Tim Maia recorreram mas a alegação foi rejeitada

A justiça do Rio de Janeiro a autorizou nesta terça-feira (22) a exumação do corpo do cantor e compositor Tim Maia, que morreu em 1998. O pedido faz parte de uma investigação de paternidade apresentada por uma mulher que acredita ser filha do cantor.

Os herdeiros de Tim, seus irmãos e seu filho, Carmelo Maia, recorreram da decisão, justificando que o material para o exame poderia ser fornecido por eles mesmos e alegaram que a exumação configuraria desrespeito ao sentimento da família. O desembargador relator do caso rejeitou a alegação e autorizou a exumação do corpo, que ainda não tem data para acontecer. Em primeira instância, o pedido já havia sido autorizado em dezembro passado.

Para o desembargador Guaraci Viana, relator do caso no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, o exame de DNA realizado em parentes de primeiro grau não tem a mesma precisão que aquele realizado no próprio genitor. Viana, em seu despacho, declarou que “a vida do consagrado artista é um espelho e o que se vê através dele são as suas obras, músicas principalmente. A exumação do seu cadáver não causará qualquer sacrifício insuportável, dor ou trauma”.