Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

‘The Voice’ tem noite de filosofia e enrolação graças a Brown e Teló

Programa desta quinta-feira deixou em evidência a verborragia ‘poética’ de Carlinhos Brown e a demora de Michel Teló para escolher um vencedor

Duas características que vêm se destacando dos jurados do reality da Globo The Voice Brasil dominaram o episódio desta quinta-feira. Primeiro, foi a enrolação de Michel Teló para dizer qual participante de sua equipe seria o vencedor: o processo foi tão complicado que chegou a ser chamado pelo apresentador Tiago Leifert de “parto”. Depois, a demora deu espaço à filosofia por causa da verborragia “poética” de Carlinhos Brown, que, no auge de seu devaneio, recorreu a uma metáfora e classificou o mar como “o mais afinado dos astros”.

LEIA TAMBÉM:

‘The Voice’: Teló diz que escolha do público é o ‘problema’

‘Eu gosto da minha estrutura física’, diz Claudia Leitte (quem mais?)

As pérolas e os petardos do ‘The Voice Brasil’

‘The Voice’ tem noite de patadas — ao vivo, sem chance de edição

A primeira equipe a se apresentar no programa foi justamente a do técnico sertanejo, que era formada por Mali, Renan Ribeiro e Renato Vianna, eleito vencedor pelos espectadores após ter feito uma versão mais roqueira de Billie Jean, de Michael Jackson. A segunda vaga estava nas mãos de Michel Teló, o enrolador. A plateia e os competidores ficaram irritados, Leifert falou para o jornalista William Waack se arrumar sem pressa para o Jornal da Globo, que vai ao ar depois do The Voice, e até Brown se vingou ao oferecer água ao intérprete de Ai Se Eu Te Pego, que havia feito essa brincadeira antes com o colega. Horas depois – ou pelo menos foi essa a impressão dos espectadores -, Teló chamou Renan para seguir no programa.

Depois foi a vez da equilibrada equipe de Claudia Leitte, que começou com Brícia Hellen cantando No One, de Alicia Keys, em um inglês mediano. Quem a sucedeu nas performances foi Lorena Ly, que veio com uma boa interpretação de O que É Amor, canção do sambista Arlindo Cruz, para o inglês voltar a ser a língua da vez com Vanessa Macedo, que cantou Lost Stars, música famosa da voz de Adam Levine. Claudia, sucinta, elogiou todas as apresentações e teve de escolher entre Lorena e Vanessa, já o público votou em peso em Brícia. A cantora chamou a primeira para a próxima fase.

Após o time de Claudia, entraram Gau Silva, Junior Lord e Rebeca Sauwen da equipe de Carlinhos Brown, que deu um show à parte. A votação dos espectadores elegeu como vencedor Lord, de 17 anos e que cantou A Lua e Eu, de Cassiano. Restaram no palco Gau, a dona de uma bela voz que interpretou Estranha Loucura, composta por Michael Sullivan, enquanto Rebeca cantou Right to Be Wrong, da britânica Joss Stone. Na hora de falar seu escolhido, Brown foi longe. “O mar é o mais afinado dos astros que temos no mundo pela natureza. Eu sou a dúvida, e não sou o mar”, dizia o baiano enquanto Claudia Leitte ria, no fundo. “O mundo está mudando, e as pessoas também. Estou falando de eficiência energética e a voz transmite isso”. Entendeu? Talvez nem Brown tenha apreendido o que ele mesmo disse. Após este tratado filsófico, o técnico escolheu Rebeca para continuar.

Mais centrado, Lulu Santos foi simples e rápido em suas explicações. Elogiou Ayrton Montarroyos por só ter cantado músicas em português e destacou a escolha desta quinta-feira, Carinhoso, de Pixinguinha. Os elogios reverberaram na escolha dos espectadores e Montarroyos conquistou uma vaga pelo voto popular. Por fim, sobraram Cris Silva, que cantou Cold War, de Janelle Monáe, e Joelma Santiago, que foi de Que Nem Maré, de Jorge Vercillo. Coerente com os elogios dados a Montarroyos pelo uso do português, Lulu elegeu Joelma para continuar no programa.