Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

“Ted”, o demônio de pelúcia que impede Mark Wahlberg de crescer

O americano Seth MacFarlane, criador da irreverente série de animação televisiva “Uma Família da Pesada” (“Family Guy”), estreia nas telas de cinema com “Ted”, comédia de humor negro onde um urso de pelúcia sujo e politicamente incorreto força Mark Wahlberg a ficar na infância.

Esta comédia adulta, um gênero em alta neste verão nos Estados Unidos, chega aos cinemas na sexta-feira na América do Norte e com previsão de estreia para agosto no Brasil.

O filme, escrito e dirigido por Seth MacFarlane, 38 anos, que também empresta sua voz para Ted, começa com John, uma criança solitária, que deseja, e é atendido, que seu urso de pelúcia ganhe vida e que promete manter seu novo amigo por toda vida.

Anos mais tarde, John torna-se um adulto (Mark Wahlberg) um tanto imaturo, que ainda divide seu apartamento com Ted, com quem assiste “Flash Gordon” na televisão enquanto fuma e bebe cerveja, uma situação que começa a afetar seu relacionamento com Lori (Mila Kunis).

“Esta é uma ideia que já viaja pela minha cabeça há muito tempo e que eu tinha inicialmente previsto para uma série de animação, antes de colocá-la de lado”, explicou Seth MacFarlane durante a apresentação do filme em Beverly Hills. “E quando a oportunidade de fazer meu primeiro filme apareceu, percebi que a ideia seria muito melhor para um filme”.

Seth MacFarlane construiu sua boa reputação graças à série “Uma Família da Pesada”, uma obra-prima de irreverência e humor negro criada em 1999 e que está em sua décima temporada na Fox.

Há vários temas desenvolvidos em “Ted”, tais como responsabilidade, maturidade, ou a inversão de papéis entre crianças e adultos.

“As crianças que agem como adultos e adultos que agem como crianças, geralmente é fonte de uma boa comédia”, diz. “O urso de pelúcia é a manifestação física e simbólica (de um aspecto da personalidade) de John, incapaz de crescer e levar a sério a sua vida”, explica.

Na verdade, Ted serve de demônio e de má consciência para John, e tudo o que sai da boca do urso pode ser visto como o inconsciente do personagem principal, com medo de ficar velho.

Sem se importar com o politicamente correto, Seth MacFarlane não mede as palavras para fazer piadas, e ninguém sai ileso.

“Se você quer zombar de um grupo, tem que rir de tudo. O clichê deve ser igual na ofensa”, afirma. “Neste filme, quase todas as religiões, todas as raças e todas as minorias são alvos”.

Será que ele nunca teve medo de ir longe demais? “O sistema criado, com sessões de teste (espectadores convidados para assistir o filme nas várias fases de edição), permitiu medir claramente o que é aceitável e o que não é”, disse, reconhecendo ter rejeitado uma piada na edição final.

Mark Wahlberg, que passa a maior parte do filme a discutir e até mesmo brigar com o ursinho de pelúcia, que foi adicionado digitalmente na pós-produção, afirma que não teve problemas para interpretar com um “fantasma”.

“Na verdade, era mais difícil com a Mila. Ela é uma figura”, disse.

Mila Kunis, que empresta há mais de dez anos a sua voz para Meg, uma das personagens de “Uma Família da Pesada”, está familiarizada com o humor de Seth MacFarlane.

“Eu acho que é um humor incrivelmente relevante socialmente. Não é só fazer humor por humor, sempre há uma história real”, disse ela. “É brilhante porque coloca as pessoas em situações limites, mas com um humor de alto nível”.