Sucesso de ‘Mulher Maravilha’ multiplica por 9 cachê da diretora

Sites americanos especializados estimam que o valor pago a Patty Jenkins, que recebeu 1 milhão no primeiro longa, salte para até 9 milhões de dólares

O acordo que confirmou Patty Jenkins à frente da sequência de Mulher-Maravilha vai fazer da californiana a diretora mais bem paga da história. Sites americanos especializados em cinema, como os das revistas Variety e The Hollywood Reporter, ouviram fontes que afirmam que o cachê de Patty, que foi de 1 milhão de dólares no primeiro filme da super-heroína, vai saltar para algo entre 7 e até 9 milhões de dólares no novo filme, previsto para dezembro de 2019.

A israelense Gal Gadot também voltará à série, no papel principal. Segundo a Variety, Patty Jenkins já trabalha no roteiro da sequência, com ajuda de Geoff Johns, o encarregado de supervisionar o universo de filmes da editora DC Comics.

Mulher Maravilha, protagonizado por Gal Gadot, Chris Pine, Robin Wright e que conta a origem da super-heroína, arrecadou 813 milhões de dólares no mundo todo. Com 100,5 milhões de dólares, foi a melhor estreia da história a cargo de uma diretora, superando a marca anterior, de Sam Taylor-Johnson com Cinquenta Tons de Cinza, que arrecadou 93 milhões de dólares ao entrar em cartaz, em 2015.

A confirmação de Patty Jenkins em Mulher-Maravilha é a consagração da diretora, que chegou a ser cotada para dirigir Thor: O Mundo Sombrio, mas se desligou do projeto por diferenças criativas com o estúdio Marvel. Na sua carreira, quase totalmente dedicada à televisão, se destaca a direção de episódios de séries como Arrested Development, Entourage, The Killing e Betrayal.

Jenkins chegou a Mulher Maravilha depois que outra diretora, Michelle MacLaren (conhecida pelo seu trabalho em séries como Breaking Bad e Game of Thrones), deixou o projeto por não concordar com a visão que o estúdio tinha sobre o filme.

(Com agência EFE)