Romance inédito de Arthur Conan Doyle será publicado

Primeiro livro do autor de Sherlock Holmes estava 'perdido' havia 130 anos

A Biblioteca Nacional do Reino Unido vai publicar em novembro o primeiro romance do autor inglês Arthur Conan Doyle, The Narrative of John Smith (A Narrativa de John Smith, em livre tradução). Criador do famoso detetive Sherlock Holmes, ele escreveu o manuscrito aos 23 anos, mas, por obra do destino, nunca chegou a publicá-lo.

Segundo o jornal The Guardian, o autor enviou o romance, escrito entre 1883 e 1884, a um editor britânico, mas o documento foi perdido pelos correios, o que levou Doyle a reescrevê-lo tempos depois. Os seis capítulos que redigiu, e que até agora estiveram com seus herdeiros, e depois nos arquivos da Biblioteca Britânica, são os que agora serão publicados, para o deleite de seus admiradores.

The Narrative of John Smith conta a história de um cinquentão doente que vive confinado em seu quarto, a partir de onde opina sobre religião, literatura e guerra a todos que queiram escutá-lo. Ao longo do livro – escrito pouco antes do que até agora era considerado seu primeiro romance, Um Estudo em Escarlate – o protagonista recebe a visita de várias pessoas, de generais aposentados a padres.

A dona da moradia onde vive Smith, a senhora Rundle, “é um protótipo da falante senhora Hudson, a proprietária da casa de Sherlock Holmes”, segundo explicou ao The Guardian Rachel Foss, da Biblioteca Britânica. Encarregada pelos manuscritos literários modernos dessa instituição, ela explica que a publicação do romance inédito, de 150 páginas, demonstra a evolução literária de Doyle.

Para a especialista, The Narrative of John Smith se perde às vezes “em termos de trama e personagens”, mas o interessante é que dá algumas pistas sobre as futuras histórias de Sherlock Holmes. “Revela de forma fascinante os primeiros passos no desenvolvimento de Conan Doyle como escritor, seu período de aprendizagem. Representa sua primeira tentativa de fazer a transição de um autor de histórias curtas para um romancista”, explica ela.

(Com agência EFE)