Red Hot Chili Peppers também foi esnobado por Bowie

Músico foi convidado por Anthony Kiedis para produzir álbuns da banda, mas recusou a proposta – diversas vezes

David Bowie e Anthony Kiedis

David Bowie e Anthony Kiedis (VEJA)

Após as revelações de que David Bowie rejeitou uma parceria com o Coldplay e mandou uma carta para Bono Vox dizendo que não gostou do musical sobre o Homem-Aranha produzido pelo músico, veio à tona mais uma prova de que o britânico não tinha problema nenhum em fazer críticas ou recusar parcerias. Em uma entrevista ao site americano Consequence of Sound, o vocalista do Red Hot Chili Peppers, Anthony Kiedis, afirmou que seu grupo foi mais um na lista de rejeitados por Bowie.

LEIA TAMBÉM:

Coldplay conta que Bowie recusou parceria com a banda

Bono diz que David Bowie não gostou de seu musical do Homem-Aranha

Música e cinema: conheça os filmes em que David Bowie atuou

Espetáculo de David Bowie em NY vira tributo após sua morte

O músico explicou que a banda sonhava em ter o britânico como produtor de um de seus álbuns – e tentou, várias vezes, fazer isso acontecer. “No começo nós ligávamos para ele e ele dizia ‘não’, respeitosamente”, diz Kieds. “Mais tarde nós mandávamos longos e-mails, explicando tudo, o porque era a hora de nós trabalharmos juntos e ele continuava negando, sempre de maneira respeitosa”, contou. Segundo ele, os americanos o convidaram para produzir By the Way, de 2002, e Stadium Arcadium, de 2006. “Ele nos disse não duas ou três vezes, mas o amigo [e produtor] dele Brian Eno, que também convidamos para nos produzir diversas vezes, disse não oito vezes.”

A banda americana é fã declarada do músico. Pouco após a sua morte, em 10 de janeiro, o baixista do grupo, Flea, fez uma tatuagem em homenagem ao ídolo, o sobrenome dele com um raio desenhado logo abaixo.

Com a morte do cantor, várias histórias sobre ele têm vindo a público, inclusive algumas sobre sua carreira como ator. O ator Dominic Monaghan, que interpretou o hobbit Merry na trilogia O Senhor dos Anéis disse em entrevista ao site Huffington Post, nesta quarta-feira, que encontrou Bowie na audição para a série. “Eu estava lendo uma revista, esperando, quando o Bowie entrou, assinou uma lista e foi para o teste. Eu presumo que tenha sido para interpretar o Gandalf”, disse, referindo-se ao mago que acabou sendo vivido por Ian McKellen.

(Da redação)

‘O Homem que Caiu na Terra’ (1976)

Em sua estreia no cinema, Bowie viveu o alienígena Thomas Jerome Newton, que cai na Terra em busca de água para seu planeta. Ele então funda uma companhia para conseguir dinheiro e construir uma nave, com a qual ele voltará para casa e salvará seu povo. No meio do caminho, entretanto, Mary-Lou (Candy Clark), uma terráquea, se apaixona pelo alien sem saber que ele não é humano.

‘Somente um Gigolô’ (1978)

No longa, David Bowie viveu Paul Ambrosius von Przygodski, um herói de guerra que, ao retornar a Berlim, tem dificuldades para conseguir emprego por conta de sua falta de habilidade fora do exército. Ele então se torna um gigolô em um bordel da cidade.

‘Furyo, em Nome da Honra’ (1983)

O filma narra a história de um soldado britânico, Jack (David Bowie), que acaba sequestrado pelos japoneses na Segunda Guerra Mundial e se recusa a obedecer às ordens do Capitão Yonoi (Ryuichi Sakamoto). A situação começa a enfurecer Yonoi, que usa outro prisioneiro inglês, John Lawrence (Tom Conti), que fala japonês fluentemente, para contornar a situação.

‘Fome de Viver’ (1983)

O longa trata de uma vampira egípcia, Miriam (Catherine Deneuve), que suga o sangue de seus amantes e os transforma em eternos jovens. Porém, ao se cansar deles, ela os mata. Ao descobrir que esse será seu destino, John (David Bowie) procura ajuda com a famosa Dr. Sarah Roberts (Susan Saradon), que tenta ajudá-lo a escapar com vida da situação.

‘Absolute Beginners’ (1986)

O musical foi uma adaptação do livro homônimo de Colin MacInnes, que tinha como pano de fundo a vida em Londres no final da década de 1950 e um romance entre o fotógrafo Colin (Eddie O’Connell) e uma modelo, Suzette (Patsy Kensit). David Bowie vive o ex-amante de uma colunista de fofocas na revista de moda que fotógrafo trabalha.

‘Labirinto – A Magia do Tempo’ (1986)

Essa é uma história sobre Sarah Williams (Jennifer Connelly), uma garota que precisa enfrentar um labirinto mágico para resgatar seu irmão mais novo, Toby Williams (Toby Froud), que foi sequestrado por um grupo de duendes. Se ela falhar na missão, Jareth, o rei desses seres fantásticos interpretado por Bowie, irá transformar o garoto em um deles.

‘A Última Tentação de Cristo’ (1988)

O filme, comandado por Martin Scorsese – que foi indicado ao Oscar de melhor diretor pela produção –, conta a jornada de Jesus Cristo (Willem Dafoe) até a crucificação. Bowie faz uma participação no longa como o líder romano Pôncio Pilatos. 

‘Basquiat – Traços de uma Vida’ (1996)

O filme conta a história do grafiteiro americano Jean-Michel Basquiat (Jeffrey Wright), que se tornou um famoso pintor neo-expressionista no país. Na trama, Bowie atua como o artista plástico Andy Warhol.