Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Quadro raro de Portinari é leiloado por R$ 4,2 milhões

Evento de James Lisboa também teve como destaque Vik Muniz, Lygia Clark e Beatriz Milhazes, além do holandês Abraham Willaert

Em termos de mercado, Portinari ainda representa para a arte moderna brasileira o que Picasso significa para a europeia, ou seja, garantia de liquidez. Uma icônica tela sua, Menino, de 1958, foi arrematada por 4,2 milhões de reais no leilão realizado no começo da semana por James Lisboa. Quatro desenhos do pintor foram vendidos no mesmo leilão por 200 000 reais. A tela Menino integra o raisonné de Portinari (publicação com a lista dos trabalhos artísticos de um artista) e já esteve em várias exposições importantes, no Brasil e no exterior (Estados Unidos, Itália e México).

Um surpresa no leilão de Lisboa foi a venda por quatro vezes o valor do lance mínimo da tela do pintor barroco holandês Abraham Willaerts (ca. 1603-1669). Avaliada em 60 000 reais, ela alcançou 150 000 reais. A pintura de Willaerts ficou entre as cinco obras arrematadas por maior preço depois de Portinari.

As outras quatro são uma paisagem de Pancetti (450 000 reais); uma releitura de Picasso por Vik Muniz (300 000 reais), um guache (de 1955) de Lygia Clark (250 000 reais) e uma pintura de Beatriz Milhazes (125 000 reais).

(Com Estadão Conteúdo)