Plácido Domingo ganha prêmio israelense Wolf de Artes

Jerusalém, 10 jan (EFE).- O tenor espanhol Plácido Domingo e o diretor de orquestra britânico Simon Rattle foram agraciados nesta terça-feira com o prêmio Wolf de Artes, na categoria Música, concedido anualmente pela fundação de mesmo nome.

Segundo anunciou o ministro de Cultura israelense, Gideón Saar, no caso de Domingo, esta é a primeira vez desde que nasceu o Wolf, em 1981, que um artista vocal obtém o prêmio, recebido anteriormente por reconhecidos diretores como Daniel Barenboim e Zubin Mehta.

O presidente israelense, Shimon Peres, fará a entrega dos prêmios, acompanhados de US$ 100 mil, no dia 13 de maio em cerimônia na Knesset (Parlamento israelense), informou a Fundação Wolf nesta terça-feira.

‘Plácido Domingo é um dos maiores tenores de todos os tempos. Apareceu como protagonista em 128 óperas no mundo todo. Seu repertório inclui trabalhos do início do século XVIII até Wagner e óperas contemporâneas’, explica a Fundação em comunicado.

A nota assinala que o artista espanhol é ‘famoso por sua poderosa e colorida voz que retém a pureza e a clareza em todos os registros’.

Também ressalta que ‘desde o começo de sua carreira Plácido Domingo mostrou devoção a Israel e a várias causas humanitárias’ e lembra que entre 1962 e 1965 ele atuou com a Ópera israelense.

Além disso, a declaração afirma que o tenor foi ‘especialmente ativo em encorajar os artistas jovens’ e em alertar sobre a gravidade da perda das faculdades auditivas.

Domingo compartilha o prêmio com o diretor da Orquestra Filarmônica de Berlim Sir Simon Rattle, que a Fundação Wolf destaca ter demonstrado ‘uma compreensão penetrante na música de diferentes períodos e alcançou uma altura à qual poucos diretores podem tentar chegar’.

O Wolf das Artes é entregue anualmente, mas alterna a cada ano entre representantes da música, pintura, arquitetura e escultura. O prêmio também tem as categorias de Física, Medicina, Química, Matemática e Agricultura. EFE