Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Paris Jackson deixará hospital em breve, dizem tios

Membros da família Jackson mostraram otimismo em relação à recuperação da garota que está internada há quase um mês devido a uma tentativa de suicídio

Paris Jackson deve receber alta em breve, segundo parentes que estiveram na estreia de mais um espetáculo em homenagem a Michael Jackson, em Las Vegas, neste sábado. A filha do astro morto em 2009 está internada desde o início de junho devido a uma tentativa de suicídio. “Ela está fenomenal atualmente. Seu estado é cada vez melhor e vai sair em breve do hospital”, disse seu tio Jackie Jackson ao canal americano E! News antes da estreia de Michael Jackson ONE, o novo show do Cirque du Soleil, apresentado no hotel Mandalay Bay.

Leia também:

Paris Jackson sofreria de depressão pela perda do pai

Internada, Paris Jackson passará por análise psiquiátrica

Motivo de tentativa de suicídio de Paris Jackson seria briga com avó

A perspectiva otimista da família contradiz notícias recentes de que a depressão profunda deixaria a garota no hospital por três meses. “Desejamos-lhe uma recuperação rápida”, disse seu tio Marlon Jackson. “Depois de tudo que ela sofreu, perder um pai… isso é muito duro para alguém tão jovem. Ela é muito forte”, acrescentou.

Os irmãos de Paris, Prince e Blanket, foram à apresentação acompanhados da avó Katherine. O espetáculo, repleto de danças e números acrobáticos, inclui interpretações de sucessos do astro como Dirty Diana, I’ll Be There, Thriller, Beat It e Bad.

E também:

Paris Jackson é vítima colateral da excentricidade do pai

Mãe biológica não quer disputar guarda de Paris Jackson

Fotos inéditas mostram Michael Jackson com os filhos

Michael Jackson ONE é o segundo espetáculo do Cirque du Soleil que homenageia a carreira do astro. O primeiro foi Michael Jackson The Immortal World Tour, que estreou em Las Vegas em 2011.

Justiça – Atualmente está em curso novo julgamento sobre a morte de Michael Jackson, no qual a mãe do astro acusa a promotora AEG Live de ser responsável pelo falecimento do artista.

O advogado da família, Brian Panish, culpou a AEG por pressionar o rei do pop e ignorar seu delicado estado de saúde com o único objetivo de lucrar com a volta de Jackson aos palcos, prevista para julho de 2009 em Londres.

Leia também:

Michael Jackson teria pago US$ 35 mi para encobrir abusos de 24 crianças

O advogado explicou que durante o processo provará o vínculo trabalhista entre a empresa e o médico de Jackson, Conrad Murray, condenado a quatro anos de prisão por homicídio culposo. Em 2011, o júri considerou provado que Murray foi quem causou a morte repentina de Michael Jackson por administrar altas doses do anestésico Propofol no corpo do cantor.

(Com agência EFE)