Padre Fábio de Melo sobre síndrome do pânico: ‘Nunca chorei tanto’

Católico afirmou que está se tratando. ‘Os medicamentos fizeram uma enorme diferença’, disse

Depois de contar a Otaviano Costa que sofria de síndrome do pânico em entrevista para a Rádio Globo, o padre Fábio de Melo fez um desabafo, nesta sexta-feira, em seu perfil no Instagram. “Há 3 meses, enfrentei um problema grave familiar. Desde então, parei de dormir direito e passei a enfrentar uma angústia muito grande. Há 20 dias, tive sintomas de síndrome do pânico, diagnóstico que já tinha tido dois anos atrás e que superei muito rapidamente na época”, escreveu.

“Desta vez, foi muito diferente. Fiquei praticamente uma semana trancado em casa, com sensação de morte, tristeza profunda e medo de tudo. Nunca chorei tanto na minha vida”, continuou.

O padre contou que recebeu uma indicação de psiquiatra e que está fazendo tratamento. “Os medicamentos fizeram uma enorme diferença. Tenho conseguido cumprir meus compromissos e procurado fazer uma rotina mais leve que me permita estar entre amigos que amo. Estou me sentindo bem melhor, ainda que não me sinta inteiro.”

Fábio de Melo terminou a postagem agradecendo pelo carinho dos fãs e prometendo que falará mais sobre o assunto “quando estiver mais inteiro”.

Meus queridos amigos, Saibam por mim o que sobre mim é verdade. Há 3 meses enfrentei um problema grave familiar. Desde então parei de dormir direito e passei a enfrentar uma angústia muito grande. Há 20 dias tive sintomas de síndrome do pânico, diagnóstico que já tinha tido 2 anos atrás e que superei muito rapidamente na época. Desta vez foi muito diferente. Fiquei praticamente uma semana trancado em casa, com sensação de morte, tristeza profunda e medo de tudo. Nunca chorei tanto na minha vida. Meu amigo e médico Dr. Víctor Sorrentino recomendou-me uma psiquiatra de sua confiança. Desde então estou fazendo um tratamento. Os medicamentos fizeram uma enorme diferença. Tenho conseguido cumprir meus compromissos e procurado fazer uma rotina mais leve que me permita estar entre amigos que amo. Estou me sentindo bem melhor, ainda que não me sinta inteiro. Agradeço muito o carinho de todos vocês e também dos jornalistas que nos procuraram querendo tratar com respeito e profissionalismo o que tenho enfrentado. Quando estiver mais inteiro eu falarei mais sobre o assunto, pois sei que minha partilha poderá ajudar os que enfrentam o mesmo problema que eu. Por ora é viver, buscar o equilíbrio que Deus me concede através das escolhas que posso fazer. A foto escolhida para este post não é por acaso. Ela é expressão da leveza que quero sempre levar comigo.

A post shared by pefabiodemelo (@pefabiodemelo) on

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Eleonora Saramago

    NO FIM OS MÉDICOS ACABAM AJUDANDO A TODOS ATRAVÉS DO ESTUDO E DO TRABALHO
    DEUS SALVE E ABENÇOE OS MEDICOS E A MEDICINA
    EU E MINHA FAMILIA MUITO DEVEMOS A ESSES SANTOS!!

    Curtir

  2. Essa depressão é um demônio, pede pra os crentes expulsar, esse padre precisa aceitar jesus

    Curtir

  3. Artur Britto

    A síndrome do pânico do padre só não se manifesta quando ele vê uma piroka de 40cm na frente, ele adora.

    Curtir

  4. Roberto Melo

    Pois é padre Não sabe o que passa os brasileiros com isso, eu sofro disso a mais de 9 anos, mas eu não tenho sálario fixo, moradia, pensão ou o diabos que a Igreja te oferece e te da segurança na vida, eu não tenho nada, acho que pela lei hoje, e pela nova lei da aponsentadoria, nunca serei aposentado, nem de ficar em cadeiras de rodas, seria muito, porque problemas de sáude já tenho muitos que me impedem de viver uma vida comum, o senhor ainda tem o apoio da igreja, nunca vão te abandonar a nada. Não se diga um qualquer, o senhor é um protegido que sofre desse mal. Por 30 dias, imagina 8 anos, sem ter 1500 pra gastar por mês em medicamentos, sem medicamentos, sem mais profissão, sem futuro, imagine?? Seu pânico seria eterno. Melhoras é um estado horroroso, eu sei!!

    Curtir

  5. Nelson Xavier

    padre fracote!

    Curtir