Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

O quiproquó de Isabela e outros 5 remendos de ‘A Lei do Amor’

Novela das nove chega ao fim nesta sexta-feira com história confusa e cheia de buracos mal tapados

A Lei do Amor prometeu muito e cumpriu pouco. A trama das nove de Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari que termina nesta sexta-feira juntou todas as fórmulas de audiência que já fizeram sucesso em alguma novela da Rede Globo – do casal que se reencontra anos depois ao bebê que vem para salvar a irmã mais velha da leucemia – mas falhou em costurá-los com elegância.

Para agravar a situação, o folhetim ainda sofreu com vários remendos em sua história: para agradar a audiência, personagens sumiram, outros apareceram, muitos mudaram da água para o vinho e outros tantos ficaram descaracterizados. O resultado foi um enredo desarranjado, batido e sem sentido. Confira abaixo os piores remendos de A Lei do Amor:

 

Letícia: de vilã a princesa

Isabella Santoni é Letícia, filha de Helô e Pedro (Reprodução/TV Globo)

No início da trama, os leitores de VEJA elegeram a filha de Helô e Pedro como a personagem mais chata de A Lei do Amor. No entanto, a amargura de Letícia deu lugar a uma bondade forçada nos capítulos seguintes ao desaparecimento de Isabela (Alice Wegmann), a pivô do fim de seu noivado com Tiago (Humberto Carrão). Sem mais, nem menos, Letícia enxergou os defeitos de seu pai de criação, Tião (José Mayer), fez as pazes com a mãe, Helô (Claudia Abreu) e até começou a chamar Pedro (Reynaldo Gianecchini) de papai. A nova índole da moça rendeu-lhe até um casamento com o bonitão – e a empatia de todos ao ser novamente traída pelo amado. A personagem de Isabella Santoni termina a novela com a torcida do público para se recuperar da leucemia.

 

Isabela ou Marina?

Isabela (a esquerda) foi jogada no mar a mando de Tião, e deu lugar a Marina (a direita), ambas interpretadas por Alice Wegmann (Reprodução/TV Globo)

A identidade da personagem de Alice Wegmann é o maior mistério do folhetim de Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari. Logo no começo, Isabela e Tiago viveram uma paixão fulminante que acabou com o sumiço da garçonete – jogada no mar a mando de Tião. Meses se passaram, Tiago reatou o relacionamento com Letícia e, justamente no dia do casamento dos pombinhos, eis que Isabela aparece no fundo da igreja de óculos escuros, como se eles disfarçassem sua identidade. Dessa vez, a personagem se apresentou como Marina, e jurou de pés juntos não ter nenhuma relação com a garçonete sumida. Enquanto trabalhava descaradamente para separar Tiago e Letícia, Marina soltou uma e outra dica de que talvez não pudesse ser quem dizia. Um quiproquó tão desmedido que até Ana Maria Braga admitiu, ao receber a atriz no Mais Você, que o núcleo era confuso.

 

Hércules: o Norman Bates de São Dimas

Como o célebre protagonista de ‘Psicose’, de Alfred Hitcock, Hércules é obcecado pela mãe (Reprodução/TV Globo)

Hércules era o maior paspalho da novela. Peão das falcatruas de Magnólia (Vera Holtz) na prefeitura, o irmão mais novo de Pedro chegou a concordar com o caso da esposa, Luciene (Grazi Massafera) e César Venturi (Octávio Augusto) em prol de vantagens políticas. Que Hércules não tinha personalidade todos sabiam, mas sua lealdade patológica pela mãe, à la Norman Bates em Psicose, o transformou no grande vilão nos últimos capítulos da novela. Em questão de dias, o personagem revelou que foi cúmplice do assassinato de sua ex-mulher, Carmem (Bianca Salgueiro), sequestrou Helô e encomendou a morte de Salete (Claudia Raia), sua principal adversária política.

 

Caio, o (não) filho de Ciro

Vitória (Camila Morgado) acreditava que Caio era filho de Ciro (Thiago Lacerda), mas o bebê é na verdade fruto de um estupro (Reprodução/TV Globo)

Antes de reencontrar Augusto (Ricardo Tozzi), seu ex-namorado, Vitória (Camila Morgado) vivia bêbada pelas ruas de São Dimas. Prestes a deixar Ciro (Thiago Lacerda), seu marido abusivo, e ser feliz ao lado de alguém que lhe amasse, a burguesinha descobriu estar grávida do ex. A fim de minimizar o drama, Augusto assumiu a paternidade da criança e construiu uma família feliz ao lado da amada, por alguns meses. Certo dia, a vilã Magnólia (Vera Holtz) foi à casa da filha destilar veneno, e afirmou a todos que Caio não poderia ser filho de Ciro e Vitória, pois um casal de olhos azuis geneticamente não poderia gerar um bebê de olhos castanhos. Logo, ou Vitória teria pulado a cerca e tido um bebê com algum amante, ou (o que ninguém havia imaginado até aquele ponto da novela) ela poderia ter sido estuprada. Eriberto Leão entrou na novela aos 45 minutos do segundo tempo para desvendar o mistério: em uma festa nunca mencionada na história, ele abusou da personagem, que não lembrava de nada por causa do álcool. 

 

E a política?

Cláudia Raia interpreta Salete, prefeita eleita de São Dimas durante a trama de ‘A Lei do Amor’ (Reprodução)

A Rede Globo chegou a adiar a estreia de A Lei do Amor para não coincidir com as eleições municipais no Brasil e parecer uma referência ao cenário político do país. Contudo, a trama pouco apresentou as maracutaias da política brasileira, e o tema que deveria ser o carro chefe da trama acabou na sombra do vai-e-vem entre Helô e Pedro, ou do triângulo amoroso Tiago-Letícia-Isabela/Marina.

 

Pedro, o paizão

Laura (Heloísa Jorge) entrou na trama como ex de Pedro, e trouxe na bagagem uma filha para o galã (Reprodução)

Reynaldo Gianecchini e Claudia Abreu foram escalados para viver os protagonistas do folhetim, mas a falta de história para o casal fez com que ele fosse ofuscado pelo resto da trama. Os autores de A Lei do Amor tentaram de tudo para esquentar o relacionamento de Pedro e Helô e até inventaram uma ex-namorada para fazer ciúmes na mãe de Letícia. A angolana Laura (Heloísa Jorge) surgiu com uma filha de 5 anos, fruto do relacionamento com Pedro, que não fazia ideia da existência da menina – assim como aconteceu com Letícia, escondida pela mãe até a vida adulta. Assim, Pedro começou a novela como um homem solitário, que ainda não tinha superado seu amor de adolescência, mas na reta final, acabará pai de três — as duas meninas mais o bebê que Helô espera.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. miguel angel gregorio

    A Lei do Amor tem sido a pior coisa que a tv Globo ja mostrou!!! A novela teve no minimo tres finais, so adiaram para colocar mais filhos produto de estupro!!!Um péssimo retalho de outras novelas e certos filmes.
    A escolha da personagem “Magnolia, a pegadora” interpretrada pela Vera Holtz foi de horrível mau gosto e desconsideração para com a atriz (excelente) e o público.É a primeira vez que assisto à destruição de personagens ja construidos na trama: o caso do Pedro, da Iara, do Thiago….etc.
    Acaba hoje!!!!Por fim!!!

    Curtir