Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Negociador é preso por roubar 500.000 libras em obras de artistas

Jonathan Poole era um vendedor de artes, especialista em criações de famosos da música como o guitarrista Ronnie Wood

Jonathan Poole, negociador de artes britânico de 69 anos, foi sentenciado a quatro anos de prisão nesta terça-feira por roubar o equivalente a 500.000 libras (mais de 2 milhões de reais) em obras de artistas famosos. Segundo o jornal The Guardian, o britânico cometeu os crimes durante os últimos trinta anos – tendo a posse de pinturas e esculturas e vendendo-as sem repassar os lucros aos autores.

Poole trabalhava com modelos, hollywoodianos, investidores poderosos e músicos famosos como Ronnie Wood, guitarrista dos Rolling Stones. O negociador também tinha obras de outros artistas como John Lennon e Miles Davis, e foi comparado no tribunal pelo procurador James Ward com o protagonista do filme Thomas Crown – A Arte do Crime, de 1968, um bilionário que roubou um Monet por diversão.

“Alguns dos trabalhos envolvidos ainda estão desaparecidos. Onde está o dinheiro ou as obras que ele roubou? Está, como o trem de ouro nazista, escondido – apenas para ser utilizado nos próximos anos?”, questionou Ward. Entre as artes recuperadas pela polícia, estão pinturas do alemão Sebastian Krüger e uma obra de Lennon chamada Paz e Amor.

Representando a si mesmo, depois de despedir sua equipe de defesa como informou o The Guardian, Jonathan Poole admitiu 26 roubos ou fraudes contra 9 vítimas e afirmou que, depois de 40 anos de carreira, seu trabalho estava concorrendo com a internet, onde as pessoas poderiam encontrar preços mais baixos. O juiz responsável pelo caso, Michael Cullum, chegou a cutucar alguns artistas dizendo que o preço de suas obras foram inflados.

Jonathan era aclamado e reconhecidamente um bom negociador de artes, além de também ser artista plástico. “Poole já foi um homem bem-sucedido e suas vítimas confiaram nele para cuidar de suas valiosas obras de arte”, comentou um dos investigadores do caso, Steve Crilley. “Infelizmente, manchou seu bom nome e agora terá de viver com essa vergonha pelo resto da vida.”