Natália: a mosca-morta do ‘BBB13’ voa para a final

Dizendo-se 'amiga da casa toda', a gaúcha não se envolveu em discussões e, comendo pelas beiradas, chega à reta final sem ter sido testada no paredão

Natália Casassola foi resgatada da 8ª edição como uma das grandes apostas para agitar o BBB13. O diretor Boninho só não contava com a mudança de estratégia da gaúcha, bem menos produtiva para a edição. Usando todos os artifícios que podia para evitar qualquer desafeto, ela chegou a anular seu voto em uma apuração aberta, enclausurou-se na cozinha da casa para colher elogios e fugiu de qualquer briga mais forte para não ser obrigada a tomar partido.

Enquete BBB: Casal no paredão. Quem deve sair, André ou Fernanda? Vote

Dos 70 dias de confinamento, o público se lembra apenas do rápido romance com Yuri, que durou alguns poucos dias até a eliminação dele, e os flertes com Fani nas festas regadas a muita bebida. De resto, com o umbigo colado no fogão, ela só se preocupou em levar adiante sua política de boa vizinhança. E deu certo – ao menos no que diz respeito ao objetivo de ir longe no jogo: a gaúcha chega à última semana do reality show sem experimentar o paredão uma única vez.

Durante a brincadeira da discórdia na segunda-feira, a veterana repetiu o cansativo bordão de que é “amiga da casa toda” e, por isso, não tem “nada a reclamar de absolutamente ninguém”. E reiterou: “Eu não vim para o Big Brother para brigar ou arrumar discussão”. Por mais de um colega de confinamento, já foi chamada de “mãe”. Fernanda é uma delas, que se derrete pela sister que chama todos de “amiga” e “amigo”. Dessa forma, ela mina qualquer possibilidade de ser votada por aqueles estão sob sua guarda.

Leia: Perfil no Twitter acusa ‘BBB’ de fraude e acerta previsões

O melhor exemplo é o do último domingo. Apesar de já ter declarado que Fernanda era sua melhor amiga na casa, como uma irmã, Andressa preferiu indicar a mineira para a berlinda, contra o próprio namorado, em vez de votar em Natália. “Eu não tenho coragem de indicar a Nati. Então, infelizmente, meu voto é a Nanda”, disse a esteticista. Nasser, que deveria desempatar o paredão, jogou a pá de cal que faltava. “Eu não tenho motivo palpável para votar na Natália. A Nanda já foi líder e já votou em mim”, decretou o conterrâneo da veterana.

Sem liderança, sem votos, sem paredão – A tática de Natália é arriscada. A loira nunca ganhou uma prova de liderança nesta edição – nem se esforçou para tal. Das menos importantes, mas que valem prêmios, ela conquistou duas, levando um carro e 20 mil reais, e ainda venceu a prova de anjo autoimune da semana passada. A liderança, que é superestimada pelos outros confinados, coloca um no paredão em troca da imunidade, o que não cabe no jogo de “amiga de todos da casa”. Nas provas de resistência, ela e Fani eram sempre as primeiras a desistir.

Leia também:

a reta final do ‘BBB13’, o fenômeno da reencarnação

A vaga cativa de “planta” na final do BBB já é conhecida de várias edições. Carol também foi a amiga de todos que, pelas beiradas, conquistou o terceiro lugar no BBB7, e Gyselle usou a mesma tática para chegar à segunda colocação do BBB8. Além delas, tiveram Fernanda no BBB10 e Wesley, o bom moço do BBB11. Na última edição, o menos expressivo chegou a conquistar o grande prêmio do programa: Fael carregou 1,5 milhão com o sorriso fácil de quem não quer se comprometer. Marien, Aslan e Ivan até tentaram, mas nenhum deles foi páreo para Natália, a veterana que foi mais longe dos sete chamados a ter uma nova chance nesta edição.