Mulher-Maravilha se envolveu com mulheres, diz roteirista

Greg Rucka afirma que isso faz sentido dentro da história da personagem, que cresceu em uma ilha habitada somente por pessoas do sexo feminino

Uma das heroínas mais populares das histórias em quadrinhos, a Mulher-Maravilha tem um passado complicado e aparentemente difícil de ser trabalhado – suas origens já foram contadas, mudadas e retrabalhadas diversas vezes nas revistas da DC Comics desde a criação da personagem, em 1941. E, uma das mais recentes histórias com uma versão das origens da Mulher-Maravilha, Year One, dá a entender que a heroína já se envolveu romanticamente com outras mulheres na ilha onde ela cresce, Themyscira, que é habitada somente por pessoas do sexo feminino.

Em entrevista ao site Comicosity, o roteirista Greg Rucka confirmou que, sim, a personagem não é heterossexual. “Quando você pensa no conceito de Themyscira, temos que nos perguntar: ‘Como elas não podem estar em relacionamentos com outras mulheres?’ Não faria nenhum sentido. Esse lugar é descrito como o paraíso. Você deve viver feliz. Você deve poder viver relacionamentos românticos e sexuais satisfatórios. E as únicas opções para isso são mulheres”, disse.

LEIA TAMBÉM:
‘Mulher-Maravilha’: Gal Gadot brilha em primeiro trailer
Warner divulga sinopse do filme da Mulher Maravilha
Teaser com novas cenas mostra origem da Mulher-Maravilha

“Mas uma amazona não olha para outra amazona e diz: ‘Você é gay’. O conceito não existe. Mas, estamos querendo dizer que Diana (nome da Mulher-Maravilha) já se apaixonou e esteve em relacionamentos com outras mulheres? Da maneira como eu e Nicola (Scott, a ilustradora) abordamos na revista, obviamente sim”, afirmou.

A Mulher-Maravilha vai ganhar seu primeiro filme solo em junho de 2017. Gal Gadot, que já deu vida à personagem em Batman vs Superman: A Origem da Justiça vai voltar a encarnar a heroína na produção.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Bruno Lucena

    Maldito politicamente correto, transformando todo mundo em gay.

    Curtir