Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Morre, aos 95 anos, o historiador Eric Hobsbawm

Eric Hobsbawm, o maior historiador de esquerda do século XX, morreu nesta segunda-feira em Londres, aos 95 anos, após um longo período doente, segundo confirmou a família ao jornal 'The Guardian'

Eric Hobsbawm, o maior historiador de esquerda do século XX, morreu nesta segunda-feira em Londres, aos 95 anos, após um longo período doente, segundo confirmou a família ao jornal The Guardian. Hobsbawm morreu no começo da manhã no hospital Royal Free de Londres, onde estava internado. O intelectual nasceu numa família judia na Alexandria e se mudou para a Inglaterra aos 16 anos. Ele deixa mulher, três filhos, sete netos e uma bisneta. A filha de Hobsbawm, Julia, usou sua página no Twitter para agradecer o carinho de amigos e admiradores. “Estou muito comovida com as condolências dedicadas ao meu adorável e incomparável pai. Muito obrigada.”

Entre suas obras de destaque, que influenciaram gerações de historiadores, está Era dos Extremos: o Breve Século XX: 1914 – 1991. No livro, ele afirma que o século XX começou em 1914, com a I Guerra Mundial, e terminou em 1991, com o fim da União Soviética. A publicação faz parte da quadrilogia que aborda a história europeia entre 1789 e 1991 e da qual fazem parte os livros A Era das Revoluções (1962), A Era do Capital (1975), A Era dos Impérios (1987) e A Era dos Extremos (1994). Outra obra importante é Globalização, Democracia e Terrorismo. Em 2002, Hobsbawm lançou a biografia Tempos Interessantes: Uma Vida no Século XX.

O historiador entendeu a importância de analisar os fatos políticos ainda muito jovem, aos 13 anos, quando se mudou para Berlim com a irmã para morar com os tios, após a morte dos pais, em Viena. O ano era 1933 e Adolph Hitler havia sido nomeado primeiro-ministro da Alemanha, sinal interpretado pelo tio de Hobsbawm como o primeiro indício da perseguição aos judeus que tomaria forma nos anos seguintes. Por isso, a família tratou logo de transferir-se para Londres, decisão que o historiador apontou posteriormente como a salvação de sua família.

Em Londres, Hobsbawm passou a integrar o Partido Comunista da Grã-Bretanha ao mesmo tempo em que cursava História na Universidade de Cambridge.

Lições – Em uma conferência realizada em agosto de 1995 no Masp, o pensador apresentou as suas três lições aos jovens historiadores que investigam fatos do passado: devem procurar saber algo do acontecido antes de mergulhar nos arquivos; devem saber que a memória dos protagonistas falhará sobre os pontos isolados da História; e devem reconhecer a inutilidade de tentar mudar as ideias e os ideais dos participantes dos acontecimentos.

A última vez que Hobsbawm esteve no Brasil foi em 2003, para participar da Flip, em Paraty

(Com agência EFE)