Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

“Meu personagem mudou minha vida”, diz Jake Gyllenhaal

Em Zurique, onde recebeu prêmio, ator falou sobre filme de sobrevivente do ataque terrorista em Boston que passa no Festival do Rio

Como todo o mundo, Jake Gyllenhaal conhecia Jeff Bauman pelas fotos logo após o atentado na maratona de Boston, em 2013, quando ele, em choque, era socorrido depois de perder parte das duas pernas. Mas o ator quis saber mais sobre aquele homem. “Me apaixonei por ele e por sua luta”, disse em entrevista coletiva no Festival de Zurique, onde recebeu o prêmio Olho de Ouro. “Muitos filmes hoje em dia são sobre grandes personagens fazendo coisas grandiosas. E acho os gestos simples tão importantes quanto. Não apenas queria interpretar, mas também ter certeza de que o filme chegaria à tela.” Foi por isso que ele resolveu produzir O Que Te Faz Mais Forte, dirigido por David Gordon Green, por meio de sua companhia Nine Stories. O longa-metragem tem sessões no Festival do Rio a partir desta sexta-feira (6).

O filme começa apresentando Jeff como um sujeito bem-humorado, que trabalha num hipermercado e é de família simples e barulhenta. Ele tem tremenda dificuldade com compromissos. Mas promete à ex-namorada Erin (Tatiana Maslany) que vai prestigiá-la na linha de chegada da maratona de Boston. Desta vez, ele cumpre o prometido. E as bombas estouram bem a seu lado, fazendo com que suas duas pernas sejam amputadas acima do joelho. O Que Te Faz Mais Forte então mostra sua lenta e dolorosa recuperação, que inclui se adaptar à nova vida e, mais tarde, às pernas mecânicas – um processo que Jeff leva, em geral, com bom humor, mesmo quando insistem em chamá-lo de herói.

Gyllenhaal passou um ano com Jeff e sua família. “Jeff mudou minha vida. Havia algo apontando para o absurdo de filmar esse processo o tempo todo. Eu estava levando a sério, mas eu vi como era importante me divertir”, disse o ator. “Também senti mais a relevância de comunidade, não que não percebesse isso antes com isso. Ter contato com quem importa diariamente é necessário, porque aquelas são as pessoas que vão estar com você quando todo o mundo sumir. Ninguém ficou com ele por obrigação. Mesmo com todas as complexidades e complicações de sua família bagunçada, eles ficaram porque o amam.”

Por isso, Gyllenhaal afirmou ter sentido a responsabilidade. “Foi uma filmagem muito cheia de emoções, muitas risadas, muitas lágrimas, algum sangue e muito suor. Eu queria fazer um trabalho digno para alguém que eu admiro tanto, com quem aprendi tanto. Estava interpretando alguém que é mais forte que eu.” Desta vez, ele não estava preocupado com o que o público ou a indústria iam achar, apenas com o que Jeff ia pensar. “É uma grande responsabilidade interpretar alguém como ele. Porque sei que, não importa o que se passar na minha vida, não vou ser capaz de entender a dor que ele atravessou.” A recompensa, disse, veio quando Jeff assistiu e comentou ao final: “Bom trabalho”. “O que, para ele, é um comentário efusivo”, disse Gyllenhaal.