Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Maria Adelaide Amaral relembra Dercy Gonçalves em minissérie de quatro capítulos

'Dercy de Verdade', que estreia nesta terça, conta a trajetória da atriz e retrata bastidores do teatro de improviso, de que ela fez parte

Mais do que uma atriz desbocada e excêntrica – seu corpo foi enterrado em pé, conforme seu pedido -, Dercy Gonçalves representa uma importante passagem da cultura brasileira. Ela foi uma das primeiras atrizes do país a se dedicar à Commedia dell’ Arte, ou teatro de improviso, gênero teatral que tornava popular um meio cultural até então visto como refinado e elitista. Dercy ajudou a popularizar as artes cênicas. A trajetória artística e pessoal da comediante será exibida a partir desta terça na Globo, na minissérie Dercy de Verdade, que vai ao ar às 23h20.

No enredo de Maria Adelaide Amaral, apresentado em quatro episódios, a comediante é retratada como uma mulher adiante de seu tempo. “Desde a infância, a família, os vizinhos e a cidade inteira tinham preconceito e não a compreendiam. Isso também aconteceu com os críticos durante muito tempo. Ela foi muito injustiçada”, disse a autora em entrevista ao blog GPS, de VEJA. “O público perceberá que julgá-la apenas como uma artista que falava palavrão é uma visão rasa, muito simplista da grande mulher que ela foi de verdade.”

Vale lembrar que, muito mais do que uma pessoa desbocada, como ficou conhecida, Dercy foi corajosa, abriu mão de casa e família para se arriscar na carreira de atriz e defendeu a criatividade e o improviso até o fim. A minissérie é baseada na biografia Dercy de Cabo a Rabo, lançado por Maria Adelaide do Amaral em 1994 e relançado este ano pela Globo Livros.

Dercy será interpretada por Heloísa Périssé e sua filha, Luísa Périssé, na fase jovem, e por Fafy Siqueira na idade adulta. Também fazem parte do elenco Mayana Neiva, Cássio Gabus Mendes, Samara Felippo e Ricardo Tozzi. A direção é de Jorge Fernando.