‘La Ley del Amor’: trama da Globo parece novela mexicana

Plano de Magnólia (Vera Holtz, com um perucão loiro) para separar Pedro (Chay Suede) de Helô (Isabelle Drummond) foi digno de ‘A Usurpadora’

Quando descobriu que a irmã gêmea boa, Paulina, havia, afinal de contas, gostado de tomar o seu lugar ao lado de seu marido, coisa a que a obrigou para tirar umas férias de casa e levar uma louca vida paralela, Paola Bracho, a super vilã de A Usurpadora, desatou a bolar os planos mais efervescentes para separar o novo casal. Pois foi um plano maquiavélico digno de Paola Bracho, a abjeta personagem de Gabriela Spanic na quase clássica trama mexicana, que se viu no capítulo desta quinta-feira de A Lei do Amor, trama de Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari que estrou nesta semana na faixa das 9 da Globo.

Para fazer jus a Paola, A Lei do Amor – ou seria La Ley del Amor? – conta com Magnólia, a católica hipócrita que tirou o marido da melhor amiga para viver uma vida de luxo e riqueza em São Dimas, a fictícia cidade da Grande São Paulo onde se desenrola a história. Vivida por uma Vera Holtz caracterizada não com os looks diferentões que exibe na internet, mas com uma perucona loira que reluz como o ouro de suas joias, Mag, como é chamada pelos íntimos, arquitetou um plano impiedoso para separar o casal de bonzinhos, ops, pombinhos, Pedro (Chay Suede / Reynaldo Gianecchini), seu enteado, e Helô (Isabelle Drummond / Claudia Abreu), que ameaça as ambições políticas do marido, Fausto Leitão (Tarcísio Meira), pois o acusa de ser responsável pela morte do pai, demitido e posto na cadeia pelo cruel ricaço.

Ao mesmo tempo em que contratou uma secretária para gerir a vida doméstica da família Leitão e, de quebra, seduzir Pedro, acionou a amiga e comparsa Gigi (Mila Moreira) para contratar Helô para a sua agência de modelos. De um lado, portanto, há Suzana (Gabriela Duarte / Regina Duarte) tentando se aproximar do incauto Pedro, enquanto Gigi manda Helô viajar pelo mundo e Mag mente à garota toda vez que ela telefona em busca do namorado. A primeira fase da trama, vale lembrar, se passa nos anos 1990, ainda não há celular para Helô mandar emojis para Pedro.

Nesta quinta, cansada de ligar, ligar e ouvir mentiras da falsa Mag – a última era de que Pedro viajaria para uma regata com Suzana e seu sobrinho –, Helô decide cancelar os compromissos de trabalho e voltar ao Brasil. Avisada por Gigi, Magnólia dá um ultimato à hesitante Suzana, que, cheia de pruridos, resiste a seguir as ordens da patroa, mas depende do emprego para sustentar o sobrinho, herança da falecida irmã. E eis que, quando Helô chega à mansão dos Leitão e alcança a porta do quarto de Pedro, o vê dormindo ao lado de uma Suzana seminua, que se instalou ali enquanto o garoto já havia adormecido.

A trilha sonora da novela – em geral boa, vale dizer – acompanhou o dramalhão, com o grave som de um piano subindo enquanto Helô, abalada com a visão que tem à frente, sente as pernas fraquejar e quase cai no chão.

A Lei do Amor está cumprindo o que prometeram os seus autores: está se saindo um dramalhão daqueles. Se isso é ruim? Pergunte aos fãs de Maria do Bairro.

Em tempo: a vingança do público virá pela mesma Suzana: Na segunda fase da trama, que começa nesta sexta-feira, ela será amante de Fausto, o marido da doce e venenosa Magnólia.