Johnny Depp se desculpa por piada sobre assassinato de Trump

'Não saiu como o esperado e eu não tinha má intenção', disse o ator

O ator Johnny Depp pediu desculpas, nesta sexta-feira, depois de fazer uma piada sobre o assassinato de Donald Trump durante o festival de Glastonbury, no sudoeste da Inglaterra. O astro de Piratas do Caribe disse ao público que fazia algum tempo que um ator não matava um presidente.

Em declaração para o site da revista People, Depp pediu desculpas pelo incidente. “Peço desculpas pela piada de mau gosto que eu tentei fazer sobre o presidente Trump”, disse. “Não saiu como o esperado e eu não tinha má intenção. Só estava tentando divertir, não ofender as pessoas.”

A piada recebeu resposta severa da Casa Branca. “O presidente Trump condena qualquer tipo de violência, mas está claro que pessoas como Johnny Depp não seguiram seu caminho”, comentou a porta-voz de Trump, Sarah Huckabee Sanders. “Espero que colegas de Depp se pronunciem contra esse tipo de retórica.”, acrescentou.

Depp esteve em Glastonbury para uma exibição do filme The Libertine, estrelado por ele em 2004. Depp respondeu perguntas para um público de 1.500 pessoas. “Quando foi a última vez que um ator assassinou um presidente? Só para constar, eu não sou um ator. Eu minto para viver. Ainda assim, já faz um tempo e talvez tenha chegado a hora”, disse o americano. Em 1865, o presidente Abraham Lincoln foi assassinado com um tiro pelo ator John Wilkes Booth, no teatro de Washington.

(Com AFP)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Pobre redação.

    Curtir