Jim Carrey diz que não apoia violência de ‘Kick-Ass 2’

O ator afirmou, no Twitter, que o tiroteio na escola Sandy Hook, em dezembro do ano passado, no qual morreram 20 crianças, mudou seu ponto de vista

O ator Jim Carrey afirmou neste domingo que não apoia o nível de violência do filme Kick-Ass 2, com estreia prevista para o dia 18 de outubro no Brasil, no qual ele interpreta o personagem Colonel Stars. Segundo ele, o tiroteio na escola Sandy Hook, no estado de Connecticut, nos Estados Unidos, que aconteceu em dezembro do ano passado e deixou 28 vítimas, sendo 20 delas crianças, mudou sua forma de enxergar a violência.

“Eu fiz Kick-Ass 2 um mês antes de Sandy Hook e agora, em sã consciência, não posso apoiar esse nível de violência. Peço desculpas às outras pessoas envolvidas no filme. Não tenho vergonha do filme, mas esses eventos mudaram a minha opinião”, escreveu o ator no Twitter.


Kick-Ass 2 é a sequência do filme Kick-Ass – Quebrando Tudo, de 2010, e é baseado nos quadrinhos de mesmo nome criados por Mark Millar. O quadrinista, aliás, divulgou um comunicado em seu blog no qual responde ao post de Carrey. “Estou sem palavras. (…) Um filme desse tipo sempre vai ter muito sangue, e não deveria ser um choque para um cara que gostou tanto do primeiro filme”, disse Millar. “Assim como o Jim, eu fico horrorizado pela violência na vida real, mas Kick-Ass 2 não é um documentário. (…) É ficção”, afirmou.

“Essa é a decisão dele, mas eu nunca comprei a ideia de que violência na ficção leva à violência na vida real, assim como Harry Potter jogar um feitiço não cria mais meninos mágicos na vida real. (…) Nosso público é esperto o suficiente para saber que é faz de conta”, escreveu Millar.