Instituto Inhotim inaugura suas primeiras obras em dois anos

Instituto em Minas Gerais vai inaugurar duas esculturas da artista paulista Elisa Bracher

O Instituto Inhotim, em Brumadinho (MG), na região metropolitana de Belo Horizonte, abre para exposição, neste sábado, as suas primeiras novidades desde novembro de 2015, quando a galeria permanente da fotógrafa suíça radicada no Brasil Claudia Andujar foi inaugurada no local. O instituto receberá, em comodato, duas esculturas de grande escala da paulista Elisa Bracher, Embrionário (2003) e Equilíbrio Amarrado (2004).

Na primeira obra, treze toneladas de troncos de madeira se apoiam e se empurram. A segunda  é uma estrutura de oito metros de altura formada por blocos de mármore. As duas peças serão montadas nos jardins do parque, no chamado Eixo Laranja de Visitação.

Equilibrio Amarrado é uma das novas obras que compõe o jardim de Inhotim

‘Equilibrio Amarrado’ é uma das novas obras que compõem o jardim de Inhotim (William Gomes/Inhotim/Divulgação)

Para os próximos anos, o Inhotim tem programada a inauguração de uma escultura do americano Robert Irwin e de duas obras da artista japonesa Yayoi Kusama. Novas exposições temporárias também devem abrir nas galerias Fonte, Lago, Mata e Praça.

O Inhotim, idealizado pelo empresário Bernardo de Mello Paz nos anos 1980 e aberto ao grande público desde 2006, é um centro de arte contemporânea ao ar livre, com galerias e obras distribuídas em uma área de 140 hectares, além de ser considerado também um jardim botânico. Em 2015, o museu chegou à marca de 2 milhões de visitantes desde sua abertura, nove anos antes. No ano passado, o Inhotim recebeu mais de 320.000 visitantes. De janeiro a março deste ano, foram mais de 73.000 visitas.

O instituto funciona de terça a sexta-feira, das 9h30 às 16h30; e aos sábados, domingos e feriados, das 9h30 às 17h30. O ingresso custa 40 reais (20 reais a meia). Às quartas, a entrada é gratuita.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Thais Fernandes

    Desperdício de espaço.

    Curtir