IMPERDÍVEL: Green Day volta às origens em novo álbum

Banda lança 12º álbum e se redime do fracasso da coletânea anterior

Revolution Radio12º álbum de estúdio do Green Day, marca o retorno da banda ao bom e velho punk rock com tons de pop, que fez do grupo um dos mais relevantes do movimento nos anos 1990. Com um fundo de nostalgia, a coletânea reflete e celebra as três décadas da banda, enquanto tenta resgatar os músicos do fiasco ¡Uno! ¡Dos! ¡Tré!,  álbum lançado em 2012.

Em ano de eleição nos Estados Unidos, o grupo reencarna a inspiração que levou ao sucesso American Idiot — hit de 2004, que fazia alusão ao governo de George W. Bush. O alvo, agora, claro, é Donald Trump. A alfinetada fica clara na faixa Forever Now: “Se isso é o que você chama de boa vida/ Eu quero achar uma forma melhor de morrer” (If this is what you call the good life/I want a better way to die).

As críticas continuam ao longo do álbum. Caso da faixa de abertura, Bang Bang, em que o Green Day conduz os fãs pela psicose de um assassino de massas — um protagonista de diversos atentados no país.  Já Revolution Radio, a canção que dá nome ao álbum, retoma os tradicionais questionamentos da banda em relação à mídia e seu papel, com bordões curiosos como “legalize truth” (verdade legalizada) e “anti-social midia” (um trocadilho com a palavra mídias sociais).

LEIA TAMBÉM
Guitarrista do Green Day é diagnosticado com câncer nas amígdalas

Revolution Radio já está disponível nas plataformas streaming Spotfy e Deezer. Os clientes da Apple também podem adquirir o disco, por 9,99 dólares no iTunes, ou escutá-lo no Apple Music.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Sandro Silva

    Voltaram mais idiotas que antes!

    Curtir