IMPERDÍVEL: Dinossauro do glam rock, Ian Hunter lança novo disco

Ex-integrante do Mott the Hoople, músico divulga trabalho com influências do passado e homenagem a David Bowie

Entre os anos 1960 e 70, David Bowie se tornou o principal representante do movimento glam rock. Na mesma época, ele assumiu o título de raro fã da banda britânica Mott the Hoople. O grupo já caminhava para seu fim quando Bowie quis ajudá-los e ofereceu uma força-tarefa para tirar os roqueiros glamourosos do fundo do poço. Ele apresentou produtores ao quinteto e chegou a compor para eles a música All the Young Dudes, um dos únicos hits da banda.

Apesar da boa intenção de Bowie, a Mott the Hoople chegou ao fim, mas deixou para o mundo o nome do vocalista Ian Hunter. Um dinossauro do rock, o músico se manteve na ativa e mostrou uma qualidade superior na carreira solo, além de uma incontestável evolução, sem abandonar as raízes. Prova disso são seus dois últimos discos, o ótimo When I’m President, de 2012, e Fingers Crossed, lançado nesta sexta-feira, dia 16 de setembro.

As melodias do álbum são envolventes, assim como as letras bem escritas e entoadas pela voz rouca de Hunter, no auge de seus 77 anos. O disco abre com a enérgica That’s When The Trouble Starts e segue em uma crescente com gosto de anos 1970 até a terceira faixa, passando pela belíssima Dandy — tributo ao amigo David Bowie — e a ritmada Ghosts. A quarta canção, que dá nome ao disco, quebra o ritmo agitado para oferecer uma balada apoiada no piano

Do meio em diante, o disco mantém a qualidade, enquanto mergulha em décadas mais distantes, desfilando outras referências retrôs. Nomes como Johnny Cash, Elvis e Carl Perkins surgem na memória, enquanto o rock se mistura com o country e o blues, e os pés batem ritmados ao inventivo som do veterano.