Harvard cria matéria inspirada em ‘Game of Thrones’

Disciplina vai estudar como a série e os livros de George R.R. Martin adaptam a história medieval e como se relacionam com obras da época

Game of Thrones chegou ao Ensino Superior. A Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, vai oferecer uma matéria inspirada no seriado de sucesso da HBO, segundo o site da revista Time. A disciplina vai receber o nome The Real Game of Thrones: From Modern Myths to Medieval Models (O verdadeiro Game of Thrones: dos mitos modernos aos modelos medievais).

O curso vai estudar como a série e os livros de George R.R. Martin que inspiraram a produção “ecoam e adaptam, assim como distorcem, a história e a cultura do ‘mundo medieval’ da Eurasia dos anos 400 a 1500” e explorar “um grupo de personagens arquetípicos que estão no coração de Game of Thrones – o rei, a boa esposa, o segundo filho, o aventureiro e assim por diante – com tipos análogos na história, literatura, religião e lenda medieval”, diz a descrição da disciplina entregue à revista.

A matéria será ministrada pelos professores Sean Gilsdorf, especialista em história medieval, e Racha Kirakosian, que dá aula de alemão e estudos religiosos. “Game of Thrones dramatiza algumas coisas fundamentais que aconteciam nas cortes medievais. Tensões entre uma rainha e uma mulher mais jovem que se casa com seus filhos são como o Real Housewives of 10th-century Germany (Verdadeiras Donas de Casa do século X na Alemanha), onde você vê mulheres em embates com outras”, disse Gilsdorf à Time.

Racha Kirakosian afirma que a ideia da “rainha vingativa”, presente em Cersei Lannister (Lena Headey), também inspira Kriemhild (ou Cremilda, em português), a principal personagem da realeza no poema épico alemão Canção dos Nibelungos. As duas histórias também mostram governantes do sexo feminino cujos maridos foram assassinados durante caçadas.

A professora afirmou que espera que o curso desperte o interesse dos alunos para história medieval e humanidades, em geral. Dados da Universidade de Harvard divulgados em 2013 mostraram que a porcentagem de estudantes se formando em cursos de humanas havia caído de 36 para 20% nas últimas seis décadas.