Haja licença poética: parto de novela não tem cordão nem sangue

Com Ritinha em ‘A Força do Querer’, Gloria Perez tinha a chance de se redimir do parto com shortinho de Morena em ‘Salve Jorge’. Mas não foi dessa vez

Na rua, um tiroteio derruba um colega de Jeiza (Paolla Oliveira), que cai no chão ensanguentado. Tensa, a policial se esgueira pelos carros parados na via, travada pela troca de tiros, até ouvir pancadas no vidro de um táxi amarelo, de Marilda (Dandara Mariana), a fiel escudeira de Ritinha (Isis Valverde), que, em trabalho de parto, sua a ponto de se desidratar sobre o banco traseiro do automóvel. A heroína Jeiza entra no carro e, apesar de reconhecer ali a ex-mulher do seu atual namorado, tchanam, saca um mágico par de luvas cirúrgicas do bolso e dá início ao serviço de parteira. Pode parecer absurdo, mas esse foi apenas o início de uma sequência que, embora seguindo os padrões hollywoodianos da Globo, foi toda ditada por licença poética. As cenas foram exibidas no capítulo desta terça-feira de A Força do Querer, a novela das 9 da emissora.

Da posição em que estava, diante das pernas abertas de Ritinha, Jeiza olhou para o bebê e cravou o diagnóstico. “Ele está invertido. Seu bebê não está na posição de nascer, tá bom?”, disse a policial, demonstrando possuir conhecimentos obstétricos preciosos. “Eu vou virar. Respira. Isso, agora faz força”, ditou Jeiza, que enfiava e tirava as mãos do pimpolho sem que as luvas se manchassem de sangue.

Jeiza (Paolla Oliveira) saca e coloca as luvas diante de uma suada Ritinha (Isis Valverde) (Reprodução/TV Globo)

Jeiza (Paolla Oliviera) acerta a posição do bebê para o parto (Reprodução/TV Globo)

Cirurgia concluída, a policial-lutadora-de-MMA-e-parteira entregou o filhote – um senhor bebê – à mãe, sem qualquer menção ao cordão umbilical. Depois, para fechar a sequência, Ritinha foi para casa, e não atrás de um médico ou de um hospital, como seria sensato, digamos.

Jeiza (Paolla Oliveira) com o bebê de Ritinha (Isis Valverde) nos braços e as luvas incrivelmente brancas (Reprodução/TV Globo)

Ritinha (ísis Valverde) com seu pimpolho no colo. No canto direito, as luvas imaculadamente brancas da parteira Jeiza (Paolla Oliveira) (Reprodução/TV Globo)

Gloria Perez tinha, com o parto de Ritinha, a chance de se redimir do erro que cometeu em Salve Jorge, quando a protagonista Morena (Nanda Costa) pariu sozinha em uma gruta em Instambul, sem nem mesmo tirar o shortinho que obstruía a passagem do bebê. E a novelista virou piada nas redes sociais. Não foi dessa vez, porém, que a dramaturga seguiu a cartilha da realidade. Gloria preferiu investir de novo na licença poética. E virou de novo piada nas redes.

 

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Ataíde Jorge de Oliveira

    Nem cheiro

    Curtir

  2. Alex Cardozo

    Novelas são folhetins cheios de bobagens, para entreter a massa de poucos inteligentes sejam ele de direita ou de esquerda…perder tempo assitindo “obras” de tão pouca qualidade é uma forma de suicídio a vida é mais que assistir a globo.

    Curtir

  3. claudia braun

    Mais engraçado ainda é imaginar que uma familia tão rica como a do marido dando assistencia sequer fez o pré-natal. pra detectar q a criança estava perto de nascer e invertida. Com toda ctza desse mundo qualquer pediatra já teria marcado a cesárea.

    Curtir

  4. Exageros que não convencem na interpretação.

    Curtir