Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Guillermo del Toro assume direção da nova versão de ‘Pinocchio’

Los Angeles (EUA.), 10 mai (EFE).- O cineasta mexicano Guillermo del Toro estreará como diretor de um filme de animação com ‘Pinocchio’, uma nova adaptação do clássico da Disney lançado originalmente em 1940, informou nesta quinta-feira a revista ‘Variety’.

Del Toro estava envolvido na produção do filme desde 2008 com a companhia Jim Henson, mas, devido à complexidade do projeto, decidiu assumir mais responsabilidade e, por consequência, a direção desta nova versão.

‘Pouco a pouco me dei conta que deveria mesmo dirigir o filme’, explicou o diretor, que deverá compartilhar essa tarefa com Mark Gustafson, de ‘O Fantástico Sr. Raposo’.

A nova versão de ‘Pinocchio’, que será elaborada através da técnica stop-motion, chegará aos cinemas em formato 3D e deverá começar a ser produzida já no segundo semestre de 2013.

Até o momento, a relação de Guillermo del Toro com o mundo da animação girava em torno de trabalhos de assessoria e produção, principalmente para os estúdios DreamWorks Animation.

Em sua filmografia aparecem títulos como ‘O Gato de Botas’, ‘Kung Fu Panda 2’ e ‘Megamente’. O ator também aparece como produtor executivo de ‘Rise of the Guardians’, a grande aposta da DreamWorks para o ano de 2012.

Ao assumir a direção de ‘Pinocchio’, Del Toro substituirá Gris Grimly, que ilustrou uma versão do conto publicada 2002 e que figurava como diretor ao lado de Gustafson.

Fiel ao seu estilo, o cineasta de ‘O Labirinto do Fauno’ assegurou que seu ‘Pinocchio’ será mais tétrico que o filme da Disney e também será destinado ao público acima dos 10 anos.

‘Tem que ter escuridão em qualquer conto de magia ou livro infantil, algo que os irmãos Grimm, Hans Christian Andersen e Walt Disney compreenderam muito bem. Muita gente se esquece que os perturbadores que são os melhores filmes da Disney’, disse Del Toro.

O personagem de Pinocchio apareceu pela primeira vez no livro ‘As Aventuras de Pinocchio’, escrito por Carlo Collodi no século XIX. EFE

fmx/fk