Guilherme Arantes de volta ao pop

Um dos maiores hitmakers do país retoma seu lado radiofônico — sem concessões ao trivial — em 'Flores & Cores'

Guilherme Arantes mal tinha lançado o disco Condição Humana (2013) quando foi confrontado por sua filha mais nova, Paola. Assustada com a letra — cantada em voz soturna — da canção-título, que fala de “terra enlouquecida” e “guardiões do Mal”, ela aconselhou o compositor, pianista e cantor paulistano a pensar na dona de casa. “Paola achava que nenhuma mulher iria varrer a casa escutando aquilo”, conta Arantes. Pois Flores & Cores, que chega às lojas de disco e plataformas digitais na sexta-feira 18, tem mais do Arantes hitmaker dos anos 70 e 80 do que os flertes com a MPB alternativa do disco anterior. Suas doze canções trafegam entre a balada, a música latina e o rock progressivo, sem perder o elemento pop que consagrou o autor.

Leia esta reportagem na íntegra assinando o site de VEJA ou compre a edição desta semana para iOS e Android.
Aproveite também: todas as edições de VEJA Digital por 1 mês grátis no Go Read.