Guia ajuda a identificar gays acomodados no armário

Há seis anos, a jornalista Ticiana Azevedo se envolveu com um príncipe que, na opinião da amiga e também jornalista Consuelo Dieguez, mais parecia uma Cinderela. Para Consuelo, as roupas que ele vestia e o jeito como se comportava o tornavam “suspeito”. Ticiana também desconfiou. Especialmente quando o rapaz contou que havia viajado para uma pousada com “uma pessoa”. “Meu ‘gaydar’ disparou na hora”, conta a jornalista, citando o “radar” desenvolvido para detectar gays. Essa é uma das histórias de Cuidado! Seu Príncipe Pode Ser uma Cinderela � Guia Prático para Identificar um Gay no Armário (editora Best Seller; 208 páginas, 19,90 reais), livro que ambas acabam de lançar com o intuito de desviar a mulherada de relacionamentos fadados ao fracasso.

“O guia era uma ideia antiga, que a gente passou anos discutindo. O que deslanchou o projeto foi um encontro casual, no ano passado, com Sofia, nome fictício da protagonista do livro”, conta Consuelo. Velha conhecida das jornalistas, Sofia as convidou para um café e, na ocasião, contou a história de seu divórcio � no qual despontou uma nova Cinderela. “Ela nos contou com humor, embora sem esconder a mágoa por ter sido traída, que após sete anos de casamento descobrira que o marido era gay e perguntou se não queríamos escrever um livro baseado na sua história. Topamos na hora.”

Consuelo e Ticiana passaram, então, a coletar conteúdo para o guia, em conversas com médicos, psicanalistas, arquitetos, empresários, hostess de boates gays, modelos que atuam como damas de companhia de enrustidos e, é claro, com mulheres que caíram no conto do Príncipe-Cinderela. A incursão nesse universo resultou num livro divertido e em planos para um próximo, em que o foco será o homossexualismo feminino. “Tem muita gente, principalmente mulheres homossexuais, querendo nos contar suas experiências. Esse é um assunto que não se esgota”, garante Consuelo.

As jornalistas ainda não sabem, porém, se o segundo livro será semelhante ao primeiro, pois acreditam que as homossexuais femininas procuram disfarçar menos que os homens a sua opção sexual. E, portanto, não renderiam um guia de dicas como a deste lançamento, feitas para acabar com a dúvida do “será que ele é?”. Algumas delas – falar em “uma pessoa” para se referir a uma namorada, vestir roupas justas ou extremamente fashion e fazer escova no cabelo – estão reunidas no quadro abaixo, elaborado por VEJA.com.