Globo estuda novo ‘Trapalhões’ com Didi, Dedé, Mussum e Zacarias

. O programa deve contar com Renato Aragão e Manfried Sant'Anna, Didi e Dedé, e pode ter novos integrantes no lugar de Mussum e Zacarias

Depois de resgatar com sucesso os humorísticos Sai de Baixo e Escolinha do Professor Raimundo, que vai ganhar uma segunda temporada com Dani Calabresa, Lúcio Mauro Filho e outros comediantes da nova geração, a Globo agora estuda refazer um clássico dos anos 1980: Trapalhões. O programa deve contar com Renato Aragão e Manfried Sant’Anna, Didi Mocó e Dedé Santana, e pode ter novos integrantes no lugar de Mussum e Zacarias.

LEIA TAMBÉM:
Dedé Santana admite ter pedido dinheiro para Renato Aragão
Renato Aragão pode perder R$ 1 milhão em processo movido por atriz

“Está confirmado! Só temos a certeza de Dedé e Didi no elenco, ainda não sabemos dos novos integrantes”, diz ao site de VEJA a filha de Dedé, Yasmim Sant’Anna. Yasmim, que é atriz, não deve atuar na atração. “Eu infelizmente não fui chamada, mas estou morrendo de amor com a volta desses gigantes pra telinha!”

Didi (Renato Aragão) e Dedé (Dedé Santana)

Didi (Renato Aragão) e Dedé (Dedé Santana) durante especial ‘Didi Peregrino’, em 2013 (Raphael Dias/TV Globo)

Aos 20 anos, Yasmim dá seus primeiros passos na atuação. Ela fez uma breve participação no filme O Shaolin do Sertão, do cearense Halder Gomes, o mesmo de Cine Holliúdy (2012), que venceu o Grande Prêmio do Cinema Brasileiro em 2014. 

Enquanto não voltam ao ar, Aragão e Sant’Anna retomam seus personagens em outro remake: eles preparam a volta às telas de Os Saltimbancos Trapalhões, sucesso do grupo de 1981, quando arrastou nada menos que 5 milhões de pessoas aos cinemas — a nona maior bilheteria da história do cinema nacional. O novo longa, com direção de João Daniel Tikhomiroff, é previsto para 2017.

saltimbancos_novo

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. A graça dos Trapalhões era o humor politicamente INcorreto que dificilmente trarão de volta na grade café-com-leite do padrão globo de “qualidade”.

    Curtir

  2. Depois que o Didi ficou rico, perdeu a graça…

    Curtir

  3. Aloisio Barros

    Que bom! Mas como disse o Fábio B, a graça era o politicamente incorreto que não magoava ninguém e não era visto como preconceito, racismo. Hoje está difícil fazer graça no Brasil. Imagine as piadas feitas ao Mussum hoje em dia? Daria justiça o tempo todo. Até nisso ficamos mais pobres.

    Curtir

  4. Paulo Henrique Do Nasçimento

    Oba uma grande Noticia eu cresci assistindo os Trapalhões fez parte da minha infância

    Curtir