Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Filho adotivo defende Woody Allen de acusação de abuso

Moses Farrow alega que tudo não passa de vingança da mãe, Mia Farrow, que o diretor trocou por Soon-Yi, adotada pela atriz em relação anterior com pianista

O fotógrafo Moses Farrow, filho adotivo de Woody Allen, negou que a irmã Dylan Farrow tenha sido molestada sexualmente pelo cineasta, em entrevista à revista americana People. Moses, uma das três crianças adotadas por Allen e Mia Farrow no período em que o diretor e a atriz tiveram uma longa e séria relação, acusa a mãe de ter colocado os filhos contra o cineasta ao ser abandonada por ele, que no começo dos anos 1990 a trocou pela enteada Soon-Yi, adotada por Mia em uma relação anterior da atriz com o pianista André Previn.

“Minha mãe fez com que eu odiasse meu pai por ter dividido a família e molestado sexualmente minha irmã”, disse o rapaz à publicação. “Eu o odiei durante anos e agora vejo que se tratava de uma maneira vingativa de fazer ele pagar pelo fato de ter se apaixonado por Soon-Yi.”

Allen: acusações de abuso de filha adotiva são ‘falsas e infames’

Ronan Farrow apoia depoimento de irmã contra Woody Allen

Dylan Farrow escreveu uma carta aberta contra Woody Allen, publicada em um blog do The New York Times no último sábado. No texto, afirma que o diretor a molestou sexualmente quando tinha 7 anos, em 1992, em meio ao processo de divórcio de Allen e Mia.

Allen, que alega inocência, chegou a ser investigado à época, mas os promotores não encontraram indícios suficientes para abrir uma acusação formal contra ele. O caso teve início pouco depois de o cineasta ter se envolvido com Soon-Yi Previn, filha adotiva de Mia Farrow, que tinha 19 anos na época, enquanto Allen, mais de 50. Eles se casaram em 1997 e adotaram duas meninas.