Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Ex-BBB Marcos Härter tenta brecar investigação na Justiça

Médico alegou que delegada não tem 'atribuição' para presidir inquérito. Juiz negou liminar ao cirurgião

O médico gaúcho Marcos Härter foi à Justiça tentar suspender as investigações da polícia contra ele, suspeito de ter agredido a então namorada, Emilly Araújo, durante o Big Brother Brasil 17, da Globo. O juiz Marco Couto, da 1ª Vara Criminal de Jacarepaguá, Zona Oeste do Rio, porém, negou o pedido de liminar do cirurgião plástico.

No documento elaborado por seu advogado, Roberto Flávio Cavalcanti, o médico alega que a delegada Márcia Noeli Barreto, diretora da Divisão de Polícia de Atendimento à Mulher (DPAM) do Rio de Janeiro, não tem atribuição para presidir o inquérito policial. Foi Márcia quem solicitou a abertura das investigações, quando o gaúcho ainda estava confinado no reality show, o que resultou na sua expulsão do programa pela Globo. Marcos alega também que Emilly não depôs contra ele — a vítima, no entanto, é dispensada de prestar queixa se a violência física é patente.

Márcia respondeu à acusação dizendo que apenas acionou a delegada Viviane Costa, da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) de Jacarepaguá, a quem coube instaurar o inquérito policial para apurar os fatos. Foi Viviane quem decidiu, há duas semanas, pelo indiciamento do médico e passou o caso ao Ministério Público, que denunciou o cirurgião.

Ao protocolar o habeas corpus, porém, o advogado de Marcos não apresentou cópia do inquérito policial, evidência que deveria confirmar a acusação feita no pedido de liminar. Cavalcanti entrou com o pedido em 17 de abril.

“Assim, considerando que o deferimento de liminar em sede de habeas corpus impõe a existência de uma situação verdadeiramente excepcional, não se pode acolher o pleito do impetrante. Nada obsta que, até o julgamento do mérito deste writ, o impetrante saia de sua inércia e traga o embasamento fático às suas teses, não se podendo presumir que as suas alegações encontrem respaldo na realidade investigatória”, destaca o juiz Marcos Couto em sua decisão.

 

 

 

 

 

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Osmar Serrragem

    Erro medico e o camarada pode ter o registro cassado. E o “erro juridico” produzido por advogado inepto ou desinformado?

    Curtir

  2. Ataíde Jorge de Oliveira

    Médico!

    Curtir

  3. Houve um caso recente de um alemão que agredia mulheres no aeroporto internacional de Guarulhos, São Paulo. Esse alemão ficou meses lá agredindo pessoas, foi filmado pelas câmeras e todos que por ali passavam viam aquilo. Eu li no noticiário que o tal alemão não poderia ser preso porque nenhuma das vítimas prestou queixa. e nesse caso as pessoas corriam risco porque poderia ser um louco que pudesse até matar alguém. Eis que vem agora esse fato no BBB e vira uma novela. Pra mim tá todo mundo querendo aparecer.

    Curtir

  4. É um país imundo. O programa inteiro o trouxa sendo capacho da bandida, protegendo-a e sendo usado por ela, aí a verme é vítima.

    Curtir

  5. Piada pronta, exagero, se todas as brigas de casais fossem parar na justiça………………quem nunca levou um tapa da namorada ou namorado, pelo amor de Deus.

    Curtir

  6. Galério Hudson

    Desde o início dos tempos a mulher é um problema para os homens. Claro que não sou gay, gosto de mulher e não nego que elas são uma delícia, e não só no sentido sexual é claro…mas hoje eu sei que o o prazer que dão não compensa os problemas que causam, esse otário desse médico se enrolou todo por causa dessa ninfa, ela definitivamente entrou na vida dele para acabar o sossego, ah o sossego…esse sim pode valer 10 vezes mais do que cada “prazer” não desfrutado com uma mulher problemática…

    Curtir