Eles vão continuar causando, porque são mestres nisso

Kéfera, Bieber e Anitta são as personalidades que prometem continuar, para o bem e para o mal, em alta em 2017

O que Justin Bieber, Anitta e youtubers como Kéfera Buchmann e Christian Figueiredo têm em comum? Além das gordas contas bancárias, são todos celebridades que “causaram” em 2016. Eles não saíram do noticiário e devem continuar a todo vapor no ano que vem.

 

Justin Bieber

Justin Bieber durante show no Madison Square Garden, em julho de 2016, Nova York

Justin Bieber durante show no Madison Square Garden, em julho de 2016, Nova York (Kevin Mazur/Getty Images)

Noitadas com muito álcool e drogas, problemas com a polícia, pichações e desentendimentos com os vizinhos por causa de festas barulhentas parecem ter ficado no passado para Justin Bieber. Mas o cantor encontrou outra maneira de virar assunto sem que fosse por sua música: ele, que nada seria se não tivesse milhões de seguidores ao redor do mundo, decidiu se revoltar contra os próprios fãs, os “beliebers”. Em 2016, Bieber cancelou encontros com fãs antes dos shows, afirmou que não iria mais posar para cliques, se recusou a abraçar uma belieber em uma loja, deu piti ao ser ignorado pela plateia de um show quando ele pediu silêncio, apagou o perfil no Instagram e deu até um soco em um fã. Foi um ano e tanto e, ao que tudo indica, o cantor não deve amadurecer tão cedo, continuando a render manchetes como essas, já que ele afirmou que vai dar um tempo nos encontros com seus seguidores e seu perfil no Instagram não deu nem sinal de retorno.

 

Anitta

Festival Z no Allianz Parque

Anitta se apresenta durante o Festival Z no Allianz Parque em São Paulo (Staff Images/Allianz Parque/Divulgação/Divulgação)

Aqui, o “causar” é no sentido positivo. Anitta se tornou conhecida em 2013 com o Show das Poderosas e, desde então, vem acumulando discos vendidos, shows lotados, milhões de visualizações de seus clipes na internet e outros tantos seguidores nas redes sociais. Cria do funk carioca, a cantora acabou se voltando também para o pop nos últimos trabalhos, mirando um público mais amplo. É seguro dizer que poucos nomes da música brasileira atual têm força igual ou maior do que o de Anitta entre o grande público. E ela não vai parar tão cedo: no último ano, ela começou a preparar o terreno para uma possível carreira internacional, assinando contrato com uma agência que cuida da carreira de artistas como Rihanna e Drake, fazendo parcerias internacionais, como com o cantor colombiano Maluma e estudando inglês para tentar minimizar seu sotaque.

 

Silvio Santos

silvio-santos

(Reprodução/VEJA.com)

O apresentador comemorou 86 anos no último dia 12, visitando a exposição que o homenageia que está em cartaz no Museu da Imagem e do Som (MIS), em São Paulo. Bastante ativo, o dono do SBT continua com seu tradicional programa no ar, além de apresentar ainda o Roda a Roda Jequiti e especiais como o Teleton. Fica claro, portanto, que a idade de Silvio Santos não é um impedimento para que ele trabalhe. Funciona, na verdade, como um atrativo ao público, já que o apresentador, com essa idade, não tem mais filtro. Os espectadores ligam a televisão na expectativa de ver Silvio dizendo os mais inapropriados absurdos.

 

Kanye West

Kanye West se apresenta no Madison Square Garden, em Nova York, nos Estados Unidos

Kanye West se apresenta no Madison Square Garden, em Nova York, nos Estados Unidos (Dimitrios Kambouris/Getty Images)

Em 2016, o rapper mudou o título de seu novo disco três vezes, xingou Taylor Swift de v* em uma música, afirmando que ele a havia tornado famosa, foi acusado de plágio por um músico húngaro e ainda recebeu uma chuva de vaias em um show ao dizer que, se tivesse votado nas eleições americanas, teria escolhido Donald Trump. Depois de ser hospitalizado, o cantor voltou à atividade, pintando o cabelo de loiro e se reunindo com Trump. No ano que vem, tudo indica que Kanye West vai continuar um alvo do noticiário de celebridades, talvez no desenrolar do último rumor envolvendo o rapper, o de que ele e Kim Kardashian estariam se separando.

 

Youtubers

A youtuber Kéfera Buchmann em Paris

A youtuber Kéfera Buchmann em Paris (Reprodução/Instagram)

Desde 2015, os youtubers vêm deixando de ser famosos apenas por seus canais na rede de vídeos do Google e expandindo seus negócios com o lançamento de livros e filmes. Neste ano, não foi diferente, com a chegada às livrarias de títulos como Maju, de Maju Trindade, Fala aí, Malena, de Malena Nunes, e Tá Gravando. E agora?, de Kéfera Buchmann, que lançou também seus dois primeiros filmes, É Fada e O Amor de Catarina. Em 2017, jovens youtubers ainda devem dominar o mundo do entretenimento, principalmente no cinema. Para o ano que vem, já estão programados Eu Fico Loko, sobre a história de Christian Figueiredo, e Internet – O Filme, que conta com vários youtubers no elenco, incluindo Felipe Castanhari, PC Siqueira, Júlio Cocielo e Gustavo Stockler. Kéfera também tem novos projetos para o cinema engatilhados.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Gustavo Woltmann

    Faz parte do papel deles na sociedade

    Curtir

  2. Gustavo Woltmann 01 jan 2017 – 17h45
    Faz parte do papel deles na sociedade – SIM UNS SÃO SUBSIDIADOS OUTROS FICAM NO PLANTÃO DO SUS ATENDENDO OU NA FILA

    Curtir

  3. Thais Fernandes

    Causando o quê? Não sacrifique o português pelos modismos, senhor jornalista.

    Curtir

  4. João de Alexandria

    Vão continuar causando pra quem não tem massa encefálica…pra mim, todos beiram a irrelevância absoluta.

    Curtir