Demi Lovato volta a atacar feminismo de Taylor Swift: ‘Falsiane’

Cantora afirma que a colega não faz nada de verdade para defender as mulheres e apenas explora uma imagem de empoderamento feminino

Que Demi Lovato e Taylor Swift não se gostam não é segredo para ninguém. E de vez em quando escapam faíscas — e farpas — entre elas. Em uma entrevista à revista Glamour, publicada nesta terça-feira, a ex-estrela Disney voltou a atacar a rival por suas manifestações ditas feministas. Na matéria, a repórter questionou Demi diretamente sobre a rixa entre as duas: “Você já disse anteriormente, a respeito de Taylor Swift, ‘Não diga que você é feminista, se não põe a mão na massa’. Como você se vê atuando no movimento?” E a cantora prontamente respondeu: “Apenas falando sobre ele”, antes de criticar a imagem “falsa” que a intérprete de Blank Space e suas amigas passam do feminismo.

LEIA TAMBÉM:
Demi dá indireta a Taylor: ‘Não se intitule uma feminista se você não faz o trabalho direito’
Demi Lovato critica fã por mudar seu corpo em desenho
Taylor Swift e Calvin Harris ensaiam reaproximação

Demi ainda admitiu que a repórter a estava colocando em uma enrascada. “Eu não tenho medo de falar sobre o fato de mulheres ganharem menos do que os homens e o quão injusto isso é. Falar sobre isso é botar a mão na massa. E eu acho que toda mulher faz sua parte de certa maneira. Mas acho que, em determinadas situações, certas pessoas poderiam fazer mais, já que estão usando o feminismo como parte de sua imagem. Eu não vejo ninguém em qualquer tipo de esquadrão que tenha um corpo normal. É tipo uma imagem falsa de como as pessoas deveriam ser, e isso não é real”, afirmou.

Apesar de não mencionar o nome de Taylor Swift em nenhum momento, estava claro sobre quem Demi falava, principalmente depois que ela mencionou a música Bad Blood, cuja letra supostamente fala de uma briga entre Taylor e Katy Perry. “Acho que ter uma canção e um clipe para destruir a Katy Perry não é empoderamento feminino. Todos fazemos coisas que não são mesmo, mas eu me pergunto: ‘Estou feliz em dizer que sou uma feminista?’ Sim, porque eu não me calo. Quando você é uma artista, pode atingir milhões, e é egoísta se não usar a sua voz”, completou a intérprete de Stone Cold.